Centro Histórico, em Lima – 2º Dia

Indo a Lima, mesmo que for de passagem, não tem como não fazer um city tour.

Ele possibilita que você tenha uma visão geral da cidade, além de você interagir com pessoas de diversas partes do mundo. Eu amo isso! (Nos ct que fizemos, conhecemos viajantes da Turquia, Austrália, Argentina, Portugal, França, e até fizemos amizade com a fofa da Marisa, uma americana de Miami, fotógrafa, linda e cativante, que estava explorando a viagem sozinha. A amizade ficou, e, em abril, já está confirmado nosso encontro em Miami).
Como já falei com vocês, amamos viajar, e assim, não somos meros turistas naquele lugarzinho que nos fixamos por alguns dias, somos viajantes! Conversamos com nativos, experimentamos comidas e bebidas diferentes, e, cada vez mais constatamos a Grandeza Divina, que nos deu toda esta diversidade de povos, raças e culturas.
Então, se você ainda não se tornou um viajante, torne-se! Suas viagens ficarão muito mais emocionantes, e suas vivências únicas!
Voltando ao city tour em Lima… logo quando chegamos no Hotel, os recepcionistas nos ofereceram o passeio, e assim agendamos para o próximo dia, pela manhã. E assim, às 09:00 horas, o ônibus da agência nos buscou no hotel, e iniciamos nosso passeio pelo Centro Histórico de Lima.
O city tour iniciou seu passeio com o Huaca Pucllana, (General Borgoño, quadra 8, s/nº, Miraflores), um sítio arqueológico conservado em plena Miraflores, ou melhor, dentro da cidade. Conta-se que era uma centro cerimonial dos povos mais antigos do Peru, entre 200 – 700 d.C.

Após, nos dirigimos para o Museo Banco Central de Reserva Del Peru, que exibe um acervo artístico e cultural dos antepassados peruanos. A entrada é gratuita.

(Não contei para vocês uma estatística que descobri de Lima. Lá tem muitos museus, entretanto, nem chega perto do número de farmácias e cassinos. Contaram-nos, que Lima tem mais de dois mil cassinos espalhados pela cidade, mas não visitamos nenhum.)

Outro detalhe muito importante, sem o qual, acredito que não teria qualquer graça fazer os passeios pelos pontos turísticos em Peru: guia turístico. Achamos super importante a visita guiada, pois sem ela, não teríamos conhecimento da história, o que significa aquele ponto, qual é a data de sua descoberta, etc… Se você for sem guia, poderá voltar sem saber nada sobre a suntuosa e rica cultura peruana.

A maioria dos guias é bilingue (falam espanhol e inglês fluentemente), e sabe bastante informação para compartilhar conosco, e nós adoramos!!!! Viajamos em cada informação…. Ah! A propósito, vocês sabem porque os Incas abandonaram o Machu Picchu??? Aguardem pela resposta nos posts seguintes… eu também não sabia e mergulhei na história que nos contaram durante nosso passeio.

Voltando para nosso city tour, depois do museu, fomos para a Plaza Mayor, ou Plaza de Armas, que mais precisamente, é o centro histórico de Lima.

Como a região já foi castigada por terríveis terremotos nos séculos XVII E XVIII, quase nada sobrou das construções originais, sendo que a maioria delas é construções recentes, que mantem o estilo colonial.

Na Plaza de Armas você pode explorar o Palácio do Governo, a Catedral, o Palácio do Arcebispo, dentre outros. O passeio não incluía ingressar nestes lugares, mas ficamos por um bom tempo admirando a arquitetura, tirando fotos, vendo os peruanos…

Continuando nosso passeio, seguimos a pé para o Convento de San Francisco, que é conhecido também como Museu das Catacumbas, por abrigar muitas catacumbas abaixo de sua superfície.

Infelizmente, em seu interior não era permitido tirar fotografias, motivo que não posso mostrar para vocês o que vimos lá. Mas só para terem ideia do que representa este lugar, é considerado um dos mais importantes centros religiosos, culturais e artísticos de Lima, e foi fundada no ano de 1535.

A igreja é linda, com muitos detalhes ricos, peças nobres, pinturas impressionantes… mas o que achamos mais interessante, é que, nas catacumbas (que não é aconselhado para os cláustrofóbicos), possui “valas” com mais de 5 metros de altura, sendo cobertas até em cima com ossos do tipo crânio, fêmur, por serem mais resistentes ao tempo.

A entrada custa 7 soles para adultos, sendo que no city tour já englobava o ticket de entrada.

E assim, finalizou nosso city tour, e o tempo total de duração foi de 3:30h, e custou US$ 30 por pessoa. (Estou tentando encontrar o flyer do passeio, onde consta o nome da agência, telefone, site, etc… mas ainda não encontrei, logo que encontrar, atualizarei o post).

Como o tour terminou próximo do horário de almoço, ficamos no Larcomar, onde tiramos muitas fotinhas para compartilhar com vocês (Já falei sobre o Larcomar, aqui).

Nosso almoço foi no Café Café, um delicioso restaurante com vista para o Pacífico…. mas espere ai!!!! Quase todos são com vista para o mar!!!

Como estava louca para experimentar a comida típica peruana, pedi o famoso Lomo Saltado (41 soles), que serve tranquilamente duas pessoas… e o Fábio pediu o Lenguado em salsa de mariscos (41 soles também).

O Lomo Saltado é um prato com filé, fritas, pimentões, cebola. E o Lenguado de mariscos, como o próprio nome já diz, tem vários tipos de mariscos, junto com um arroz “triturado” com feijão preto (É o que pude ver.)

O único problema que encontramos lá, diga-se (problema para o Fábio), foi a cerveja quente. Eles não são muito fã de uma cervejinha gelada… Neste dia, o Fábio experimentou a cusqueña, a famosa cerveja peruana. Só que bem caliente!

E de sobremesa, optamos por um delicioso sorvete na Gelateria Laritza D’, tão delicioso quanto o Häagen-Dazs, por menos de 10 soles.

Pausa para mais uma foto de lindas flores em Lima:

À noite, aproveitei para curtir a piscina do hotel, enquanto o Fábio tentava manter a forma e se desculpar das excessivas comelanças, e nos preparamos para ir ao conhecido bairro boemio de Lima, Barranco. Para ter uma visão geral de como é esta parte de Lima, acesse aqui.

Em Barranco é tudo lindo, tudo boemio, e todos os lugares que vimos são convidativos para ficar! Mas optamos por ficar no Picas, já que tinha sido sugerido por uma amiga, e foi muito bem APROVADO!

O Fábio optou pelo Tacu Tacu a lo Pobre, que era um filé com ovo frito, e eu pedi um fetuccini, com um frango tipo xadrez. E não deixamos de experimentar a bebida típica de lá: o pisco sur.

Delícia demais!

Este dia foi ótimo! Aproveitamos muiiiiiiiiiiito!
Só que no outro dia, percebi que tinha perdido nossos passaportes, e fiquei desesperada!!!! Até que o pessoal do hotel nos informou que um taxista tinha deixado seu contato na recepção, pois tinha encontrado dois passaportes de brasileiros em seu taxi, na noite anterior.

Aí começou uma pequena novela: ele pediu muito mais dinheiro do que havíamos deixado como “proprina”, que em espanhol quer dizer “gorjeta”, por ter nos devolvido os passaportes.

Mas no final deu tudo certo…

Bom, nosso segundo dia em Lima termina aqui… Logo logo postarei sobre nossa vivência com a praia em Lima, além dos mercados de artesanatos e o parque de águas.

Até lá!

Fabiane Teixeira

Brasileira, Mineira de Belo Horizonte, 35 anos, conhece 38 países, é Advogada e Professora de Direito Civil, e nas horas vagas Viajante e Blogueira. Junto com meu Fábio vamos conhecer e te apresentar o mundo!

4 thoughts on “Centro Histórico, em Lima – 2º Dia

  • 14 de fevereiro de 2011 em 15:22
    Permalink

    Quanta história legal Fabi, pretendo ir pro Peru dia aliás amo viajar tambem e como disse nossa colega Camilla nós viajamos com tudo que vc posta aqui.

    beijoos

    Resposta
  • 14 de fevereiro de 2011 em 13:27
    Permalink

    Fabizinha!
    Eu viajo com você vendo as suas fotos e relatos!
    Adoooooro sonhar com estas viagens!!
    Já disse que eu chego lá né??? rs

    BJinhos

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2011 em 22:28
    Permalink

    Oi Fá….muito bom o seu post, como sempre…tudo beeeeem explicadinho…amiga, me dá um help…preciso de alguma coisa sobre Buenos Aires, Montevideu, Colonia e Punta del este….beijocas!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »