St. Barth, uma ilhota francesa no Caribe

Como comentei anteriormente, passamos 11 dias em St. Maarten/St. Marteen, no Caribe. O lugar realmente é paradisíaco, com quase 40 praias lindas, e a maioria com aquele “azul caribe” de perder o fôlego. Como ficamos por mais dias, tivemos tempo de sobra para explorar a ilha, sendo que desses dias, reservamos dois para conhecer St. Barth e Anguilla

Antes de entrar nos detalhes sobre St. Maarten/St. Marteen, venho relatar sobre St. Barth (Saint Barthélemy), que como diz Edu Luz, “um lugar para brincar de ser rico“. Para alguns é conhecida como a ilhota mais bela do Caribe, e para outros, conhecida como a ilhota francesa com mistura de St. Tropez e Hamptons. 
Bom, inicialmente, o que podemos relatar é que a ilha realmente é um luxo! Já se viu pagar 30 Euros numa cadeira de praia? 
Mas valeu muito e fica a dica!

Onde fica?

Visto: Para permanência de até 90 dias, brasileiros não necessitam de visto para turismo.
Moeda: Euro.
Idioma: por ser de colonização francesa, o idioma oficial é o francês. Entretanto, o inglês também é usual.

Alta temporada: de dezembro a abril. 

Meio de transporte: Partindo de St. Maarten, existem duas maneiras para chegar em St. Barth. A primeira delas é de ferry (catamarã), que parte do Bobby’s Marina, no Great Bay Express, pelo preço de U$$ 80 dólares por pessoa.
Na maioria dos dias da semana, o Ferry parte às 07:15h, com retorno às 18:30h (com exceção da terça-feira e domingo, que partem às 09:30h).
O trajeto dura cerca de 40 minutos, e realmente causa bastante enjoo. Recomendável o uso de remédio para enjoos, antes de embarcar. 

Ainda há a possibilidade de ir de avião, num teco teco, cujo trajeto dura cerca de 10 minutos. Dizem que o passeio é bastante emocionante, como os brinquedos da Disney (Não posso confirmar esta informação). 
Tempo para conhecer a ilha: como se trata de uma ilha muito pequena, o tempo razoável para conhecê-la é cerca de 3 dias. Entretanto, conseguimos conhecer toda a ilha, em apenas um dia, alugando um carro.
Aluguel de carro: é muito fácil e cômodo alugar um carro em St. Barth. Nem precisamos alugar daqui do Brasil, ou no hotel em St. Maarten. Logo que se chega ao Porto de Gustavia, passando pela imigração, já se tem opções de aluguel de veículo (Jeep, Smart ou outros). Optamos por um Smart, que saiu por menos de U$$ 70, a diária, incluso o seguro. 
Lembre-se, apesar de pequena, aluguel de um veículo é extremamente necessário!
Lá é muito comum você avistar um carrinho desses circulando pela ilha: 
Sugestão para quem vai ficar apenas um dia: não se esqueça das toalhas de praias fornecidas pelos Hotéis.
Passeios:
No caso de se conhecer um lugar em apenas um dia, é melhor que você visite a maioria dos locais primeiro, e depois escolha uma praia para ficar. Ficar como um pirilampo em todas as praias, não seria muito agradável!
 Em St. Barth, existem três praias recomendáveis: Saline, Gouverneur e St. Jean. As duas primeiras são praias bastante naturais, sem qualquer infraestrutura, e a terceira, já possui restaurantes, cadeiras, banheiros, etc.
Gustavia
É  praticamente a única cidade de St. Barth, com ruas cheias de lojas de grifes famosas, creperias, restaurantes, supermercados. Não deixe de visitar os supermercados para adquirir produtos franceses por um preço bem justo. 

Não deixou de vir na minha mala:
Anse de Grand Fond: é um lugar lindo, no lado oposto de Gustavia, e só vendo para entender o porquê: 

Saline: é uma praia muito bonita (mas colocaria como terceiro lugar). Não tem qualquer infraestrutura, e não é tão fácil de encontrá-la, já que os carros ficam estacionados num local, e você segue sem qualquer placa ou direção por um caminho meio chatinho. 

Gouverneur: antes de visitá-la, li que a vista de cima, antes de chegar, era o mais bonito. E realmente, fez jus às recomendações. Entretanto, é uma praia como Saline, sem qualquer infraestrutura. 

St. Jean: por fim, optamos pela praia do Aeroporto, que é uma praia muito bonita, com infraestrutura. Logo, prepare-se para pagar no mínimo, 30 Euros, pela cadeira de sol. Mas vale a pena! 

La Petite Anse: localizada na ponta extrema da Ilha, é um dos mirantes mais belos que já visitamos. O lugar é indescritível, e merece ser incluído no roteiro de quem vai a St. Barth. 

Ver o pôr do sol do Ferry: aproveitando o finalzinho do passeio, já voltando para St. Maarten, não deixe também de curtir o belíssimo pôr do sol.

Recomendado!

Fabiane Teixeira

Brasileira, Mineira de Belo Horizonte, 35 anos, conhece 38 países, é Advogada e Professora de Direito Civil, e nas horas vagas Viajante e Blogueira. Junto com meu Fábio vamos conhecer e te apresentar o mundo!

11 thoughts on “St. Barth, uma ilhota francesa no Caribe

  • 22 de outubro de 2013 em 00:37
    Permalink

    Nossa, adorei as dicas! St. Barth e St. Maarten/St. Marteen estão na minha lista de desejos. Nem sabia da possibilidade desse bate e volta… Inclusive para Anguilla também. Em qual mês vcs foram?

    Resposta
  • 16 de agosto de 2012 em 18:58
    Permalink

    Mais uma delícia de viagem em Fabi?

    Conheço Saint Marteen, mas San Barth não…pelo que vi é também uma maravilha hein? Aliás, o Caribe todo é um sonho de sombra e água fresca,né?

    Adorei as fotos e o roteiro detalhado prontinho pra viajar…mais uma vez meus parabéns, lindo post!

    Abraço pra você,

    Resposta
  • 16 de agosto de 2012 em 04:48
    Permalink

    Fabiane, fui procurar no mapa e percebi que essa ilha não é nem visualizada direito. Nossa!!! Como vocês descobrem esses lugares lindos? rsrsrs. Percebi que nas fotos quase não tinha turistas. Será que é sempre assim ou foi a época que vocês foram?
    Quanto em pagar 30 Euros para ficar na cadeira de praia, não me surpreende pois na Cidade de Armação de Búzios aqui no meu Estado do Rio de Janeiro, os hotéis na beira de algumas praias também cobram R$100,00 para ficarmos nas espreguiçadeiras, mas não somos obrigados a ficarmos nelas. Nessa ilha que vocês estavam era obrigado?

    Abraços,
    Lelê Garofle
    musicandocomlele.blogspot.com.br/

    Resposta
    • 16 de agosto de 2012 em 11:47
      Permalink

      Leandro, a alta temporada ocorre de dezembro a abril. Então, na realidade estávamos na baixíssima temporada (que nós até preferimos). Realmente os três países (St. Maarten/St. Marteen, St. Barth e Anguilla) estão bastante vazios.
      Quanto ao preço das espreguiçadeiras, não era obrigado a ficar nelas não. Mas o calor estava sufocante, e sem a sombria e cadeiras, ia ficar bem difícil!
      Abraços,

      Resposta
  • 15 de agosto de 2012 em 16:19
    Permalink

    Nooossaaa, que perfeição esse lugar…incrível!!!
    Como sempre, adorei seu post, tudo muito explicadinho.
    Amiga, será que você me confundiu no vídeo com outra pessoa?
    Estou de cabelo preso…
    Beijo beemmm grande,
    Marcela.

    Resposta
    • 15 de agosto de 2012 em 16:51
      Permalink

      Amiga,
      em uma das fotos, o cabelo da Mari está atrás de vc, e eu achei que era o seu! Kkkkkkkkkkk! Viajei! Beijos

      Resposta
  • 15 de agosto de 2012 em 12:07
    Permalink

    Fabiii..morri de vontade de conhecer! =)

    tudo lindo..

    beijos

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »