Dicas para um roteiro enxuto em Montreal, no Canadá

Montreal, foi fundada por Franceses em 1642, motivo pelo qual sua influência francesa é significativa. Apesar de que em Mont-Tremblant já tínhamos visto bastante placas de pare em francês (Arrêt), em Montreal era muito mais comum, dentre outras palavrinhas em Francês, vale a pena observar!

É uma cidade cara! Pagamos valores absurdos em breves minutos de estacionamento. Possui vários Pub´s abertos em período quase integral, onde tivemos o privilégio de ouvir bons sons de Led Zepplin e outras bandas (amo Rock!). É a cidade do Festival de Jazz, foi palco das Olimpíadas em 1976, e também é o local onde mais vimos moradores de rua (vulgarmente conhecidos como mendigos). Bem, esta é Montreal!

Quando visitar?
Isso é bem relativo! A pergunta deve ser o que você procura? Se for frio, vale ir de novembro a março. E se já desejar o tempo mais brando, ou seja, mais tolerável, pode ir a partir de abril até setembro, outubro… Como fomos em Abril, pegamos temperaturas ainda baixas, mas nada ao ponto de ser desagradável. Mas infelizmente, pegamos um dia de muita chuva! E não tem nada pior que chuva em viagem, adequar roteiro com guarda-chuvas e andanças.
Onde se hospedar?
Estes dias estava conversando com uma amiga sobre hospedagem, e falamos sobre alguns hotéis com diárias altas, caríssimas! Não que eu tenha algo contra hospedagens caras, mas quando fazemos um roteiro com mais de cinco cidades, fica inviável colocar hospedagens luxuosas e consequentemente caras. Para quem faz este tipo de viagem, como a maioria das nossas (road trip), tem que pensar muito na questão da hospedagem, não dá para ficar colocando hotéis caros, senão a viagem fica exorbitante e você tem que enxugar as despesas em outros pontos, como visitas, entretenimento, etc. O que não pode faltar na nossa hospedagem é boa localização, que seja limpo, relativamente confortável, e que atinja o nosso objetivo de: tomar banho, dormir e guardar nossas coisinhas enquanto batemos perna pela cidade. 
Neste contexto, fechamos com o Hotel Lord Berri, em Montreal, a apenas 15 minutos de caminhada do Hôtel de Ville (a prefeitura). As diárias giram em torno de 100CAD, sem café-da-manhã, com estacionamento não incluso na diária, limpo, confortável e com wifi.

Assim como Ottawa, os estacionamentos são muito caros, e se você for deixar o carro todas as vezes em estacionamento, vai ficar muito caro. Então, este hotel veio a calhar! Estávamos perto de quase tudo, então, praticamente não tivemos escolha senão parar no estacionamento do Hotel, e circular a pé nos pontos turísticos próximos. Para algum mais distante, fomos de carro e pagamos pelo estacionamento. 
O que fazer?
Chegando no Hotel, a maioria deles oferece um mapa da região com todos os pontos turísticos. Foi perfeito! Fizemos tudo o que precisamos só com o mapa na mão.
Parc Olympique, que sediou as Olimpíadas de 1976, é composto por 4 atrações:  
Obs: apesar do roteiro já estar confeccionado, como vimos que nosso primeiro dia em Montreal foi chuvoso, verificamos o tempo para o dia seguinte, e fizemos uma troca no roteiro. No dia chuvoso, optamos pelos passeios em locais fechados. E assim, deu certo demais! Pois o dia seguinte foi ensolarado, ideal para parques e passeios abertos. Fica a dica: se o tempo está ruim, verifique o tempo do dia seguinte, e faça as mudanças necessárias.
No dia, tivemos a infeliz sorte do Parque Olímpico estar fechado para reformas. Assim, conseguimos apenas subir no Observatório de Montreal, e visualizar a rapidamente o estádio olímpico.

Torre/Observatório de Montreal

 
Nesta foto do Parque Olímpico me admira a arquitetura daquele prédio lá no fundo! Uau!

A Torre possui uma grande curiosidade: É a torre mais inclinada do mundo, com 165metros de altura e 45º de inclinação, com direito a registro no livro Guiness. E além de ser divertido, é um belíssimo observatório da cidade! Vale a pena conferir.
Jardim Botânico/Insectarium
Logo na entrada do complexo, você pode adquirir os ingressos e/ou combos que melhor lhe atende. E assim, optamos apenas pelo Jardim Botânico e Insectarium (18,75CAD). Apesar da Biodême ser muito indicada, não tivemos tempo para visitá-la. 
O Jardim Botânico é lindo, especialmente o Jardim Chinês! Ficamos encantados com cada detalhe e extensão. Só que, infelizmente, o inverno se prolongou no Canadá, e consequentemente a primavera demorou a chegar. As flores começavam a aparecer, motivo pelo qual o jardim estava em manutenção e preparo para recebimento da estação mais desejada do ano.
Caminhe com calma e sem pressa! É muita coisa para ver e admirar! E guarde um dia para todo o complexo.

O Insectarium, apesar de muito interessante, tem como público alvo a criançada! 

Depois da andança, pausa para um descanso!
Parc Jean-Drapeau / Île Notre Dame / Cassino / Biosfera
Seguindo em direção a Île Notre Dame, você encontra várias atrações como a Fórmula 1 de Montreal (infelizmente estava fechado), o Cassino de Montreal, que apesar da gente não gostar de jogos, é muito interessante, e a Biosfera, uma enorme estrutura, verdadeira obra de arte! 

Hôtel de Ville (a Prefeitura) é linda! Imponente e bem marcante:

Se for estacionar o carro, tem um enorme estacionamento público em frente a Prefeitura, mas é bem caro!!! 20 minutos em torno de 4 CAD.

Basílica de Notre Dame

É um dos pontos turísticos mais visitados em Montreal. Foi construída em 1829, e deixa qualquer um impressionado com sua arquitetura e construção equivalente a um prédio de 20 andares! Tem capacidade para até 3 mil pessoas. A Lili Pestana, que leio assiduamente, foi no espetáculo de luzes e sons, e conta tudo aqui. Fizemos o tour simples, e, independente de religião, vale a pena conhecer! É belíssima!!!!!!!

O ingresso custa 5CAD e dá direito a um tour de 20 minutos pela basílica com guia.

Site: http://www.basilicanddm.org/

– Ande pelas ruas da Vieux Montréal (como estava chovendo bastante, não conseguimos registrar nenhuma foto, a não ser a abaixo:)

– Conheça a Chinatown e aproveite para comer um delicioso prato Chinês:

– Curta um (ou vários) dos Pubs das Ruas St. Denis, ou Rue Crescent e enjoy!

Para maiores detalhes de Montreal, acesso o site: http://www.canadaparabrasileiros.com/montreal. Eles mandam muito bem!

Fabiane Teixeira

Brasileira, Mineira de Belo Horizonte, 35 anos, conhece 38 países, é Advogada e Professora de Direito Civil, e nas horas vagas Viajante e Blogueira. Junto com meu Fábio vamos conhecer e te apresentar o mundo!

12 thoughts on “Dicas para um roteiro enxuto em Montreal, no Canadá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »