31 dias em Nova York: Chinatown e Little Italy

No roteiro de hoje, compartilharemos nossa experiência de um dia pelas regiões de Chinatown e Little Italy, terminando com a travessia a pé pela Manhattan Bridge, até o Brooklyn.
Chinatown localiza-se na região conhecida como “Lower East Side”, com 3,2 km quadrados, população estimada em 150 mil pessoas, composto principalmente por imigrantes chineses, e nos últimos anos também por vietnamitas, dominicanos e porto-riquenhos, além de outras nacionalidades.
É delimitada pelas ruas Kenmore e Delancey ao norte, Worth ao sul, Allen ao leste e Broadway ao oeste.
Chinatown e Little Italy no mapa:

 

Como de costume, algumas informações e curiosidades sobre Chinatown:

  • O primeiro imigrante chinês de Chinatown foi Ah Ken, que chegou em Nova York em 1858 e fundou uma bem-sucedida tabacaria em Park Row;
  • A “Chinatown de Manhattan” é um dos 9 “Chinatowns” de Nova York, e um dos 12 da região metropolitana da cidade;
  • Embora o “Mandarin” seja a língua oficial chinesa, apenas 10% dos residentes e comerciantes de Chinatown/Manhattan tem o Mandarin como primeira língua;
  • Décadas atrás, Chinatown era conhecido por seus cortiços sujos e desorganizados. A partir de 2007, alguns condomínios de luxo começaram a aparecer a partir do Soho em direção a Chinatown, modificando significativamente o visual do local.
Pois bem… Andar pelas ruas de Chinatown é realmente uma experiência diferente e marcante.

A sensação é que você não está apenas num país diferente em plena Nova York, mas num continente inusitado, com suas ruas lotadas de barracas com alimentos exóticos (enguias vivas e melancias quadradas são alguns exemplos), lojas de jóias, perfumes, roupas e bugigangas para todo lado.Impressionante também a quantidade de restaurantes de comidas típicas, e me arrisco a dizer que é possível degustar a gastronomia de todas as províncias chinesas nesse pequeno território ao sul de Manhattan.Por qual estação de Metrô chegar?

A estação de metrô mais fácil para conhecer a região é a Canal St (Linha amarela N ou R) ou linha verde.A Canal St é a principalmente rua de Chinatown e a mais turística, e de cara nos deparamos com um.. Mc Donald’s, “Made in China”, em plena Nova York!
Mc Donald’s Made in China – Em plena Nova York!!

É fácil notar que os estabelecimentos por ali são identificados tanto em mandarin quanto na língua inglesa, e é fácil constatar também que boa parte, senão a maioria dos comerciantes, transeuntes não turistas e moradores da região, se comunica também em mandarin… Só para relembrar: estamos em plena Nova York!! Amazing!!

Não se deixe enganar pelos preços baixos de roupas “de grife” e perfumes da moda: Chinatown é o paraíso das falsificações e é muito comum a realização de batidas policiais.
Caminhe sem pressa pela Canal St e delicie-se um pouco pelo mundo oriental nova-iorquino. O mais bacana é a imersão pelas ruas adjacentes, onde recomendamos a Baxter St, Mulberry St e Motty St, sempre sentido Manhattan Bridge.
Chinatown e os típicos ônibus amarelos escolares americanos
As cores e a cultura chinesa presentes em Chinatown
Nossa sugestão: caminhe sem roteiro pré-definido pelos 12 quarteirões de Chinatown, e se a finalidade da sua viagem for aprimorar o inglês, como era o nosso caso, entre nas inúmeras lojas de bugigangas e converse com vendedores e funcionários com seu sotaque inconfundível, deguste as carnes e peixes que são vendidos às pencas, conheça as casas funerárias asiáticas da Mulberry St (imersão é isso!!) e entre rapidamente no parque Columbus (é até possível assistir uma partida de futebol por lá, se der sorte… Acredite!!)

 

Imersão total

 

Apple e Hollywood presentes em Chinatown
Depois de mais de uma hora de caminhada e imersão total pelas ruas adjacentes à Canal St, uma pequena pausa: Little Italy, composta por exatos 3 quarteirões, conhecido pela quantidade de italianos que ali residem e trabalham, além de suas lojas, cafés e restaurantes típicos.
Little Italy foi também a inspiração para o livro “The Godfather” e seus três filmes (impossível não lembrar da família Corleone, não é mesmo?)
No mapa de Nova York, é fácil delimitar esse pequeno pedaço da Itália em plena Big Apple, pois fica a leste do Tribeca e Soho (faremos posts a respeito), norte de Chinatown, oeste do Bowery e Lower East Side e ao sul de Nolita.
Welcome to Little Italy
Separe pelo menos uma hora para Little Italy, começando pela Mulberry St., esquina com Canal St. e aproveite para degustar pizzas, lasanhas e massas em geral, canolli de queijo, e, claro, uma ótima tábua de frios acompanhada de um excelente vinho italiano.
Dica imperdível: anote o endereço 247 Mulberry St! Trata-se do antigo “Ravenite Social Club”, onde a máfia chefiada por John Gotti se reunia periodicamente, até sua prisão em 1990.
Hoje é apenas uma loja com fachada de tijolos ocupada por uma boutique de calçados. Aproveite para muitas fotos nesse ambiente aconchegante e colorido.

 

 

Aproveite para experimentar o Canolli de queijo do “Caffe Roma Pastry“, na esquina da Mulberry St com Grand St. (385. Broome St Suite A).
Fantástico!!
Caminhe pela Grand St, sentido Bowery St,, para um retorno estratégico a Chinatown, e você conseguirá visualizar a partir da Mott St uma mistura entre os dois bairros.
É possível visualizar lado a lado prédios com arquitetura chinesa e italiana convivendo em perfeita harmonia, bem como as cores, língua, cultura, além, é claro, de italianos, chineses, brasileiros, americanos e pessoas de nacionalidades diversas.
Uma verdadeira torre de Babel…

 

 

 

Não deixe de caminhar pelo “quadrado” que envolve a Mott St, Bayard St, Elisabeth St e Bowery, já no final do bairro, sempre sentido Manhattan Bridge, e se delicie com a verdadeira China em plena Nova York: arquitetura, gastronomia, cultura, lojas, especiarias, restaurantes…

 

Na foto abaixo, um pouco da Little Italy misturada com Chinatown. Vê-se a oferta de produtos Italianos na Di Palo, e o reflexos do mundo chinês do outro lado da rua.
China? Itália? NÃO! Nova York!!

 

 

 

Praticamente no início da Manhattan Bridge (133 Canal St), não deixe de visitar o “Mahayana Buddhist Temple“, o maior templo budista de Nova York, devidamente guardado por leões dourados.
No seu interior, uma estátua gigante de um Buda, rodeado de quadros que retratam eventos cruciais da vida do místico indiano.

Enfim, a última parte do nosso passeio: a travessia a pé pela Manhattan Bridge, a famosa ponte suspensa que cruza o East River, ligando Lower Manhattan pela Canal St ao Brooklyn pela Flatbush Avenue, com seus 2.089 metros de comprimento, sendo uma das 4 pontes de ligação pelo East River (Queensboro, Brooklyn e Williamburg são as outras).

Durante a caminhada é possível visualizar a região de Chinatown de forma privilegiada, além de um “skyline” sensacional da região de Manhattan, onde destacamos a Brooklyn Bridge e o One World Trade Center.
Início da travessia da Manhattan Bridge

 

Vista de Chinatown do alto da Manhattan Bridge

 

Seria um brasileiro o autor dessa singela mensagem?

 

Simplesmente “Chinatown”

 

Vista privilegiada de Downtown do alto da Manhattan Bridge

 

Downtown no final do dia – Vista do alto da Manhattan Bridge

Ao final da travessia, seja Bem-Vindo à região de “Downtown Brooklyn”…

Mas isso já é uma outra história…
Por Fábio Almeida

 

Fabiane Teixeira

Brasileira, Mineira de Belo Horizonte, 35 anos, conhece 38 países, é Advogada e Professora de Direito Civil, e nas horas vagas Viajante e Blogueira. Junto com meu Fábio vamos conhecer e te apresentar o mundo!

3 thoughts on “31 dias em Nova York: Chinatown e Little Italy

  • 4 de fevereiro de 2019 em 22:08
    Permalink

    Ano passado estive em NY e fui, junto do meu namorado, visitar Chinatown. Não vimos nada a respeito do lugar e ficamos perdidos. Resultado: odiamos o lugar hahaha. Estamos indo a NY novamente essa semana, vou dar mais uma chance com esse seu roteiro. Muito obrigada por compartilhar conosco, espero que a gente consiga curtir mais dessa vez 🙂

    Resposta
  • 12 de outubro de 2016 em 23:01
    Permalink

    Top! Indo a New York em novembo. Excelente contribuição.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »