A experiência no restaurante estrelado pelo Guia Michelin: Amber, em Hong Kong

Contamos anteriormente como foi nossa hospedagem no The Landmark Mandarin Oriental, Hong Kong. Para ler a matéria completa, clique aqui. E agora vamos compartilhar como foi o almoço que tivemos, à convite do hotel, no restaurante Amber, restaurante estrelado pelo Guia Michelin. Já adiantamos que foi uma experiência inesquecível e ímpar!

Mas antes de contar sobre nossa experiência, vocês sabem o que faz um restaurante ser premiado pelo Guia Michelin, essa bíblia da gastronomia mundial?

Quando um restaurante é estrelado pelo Guia Michelin, significa que ele e seu chef receberam esta premiação com base em um critério de avaliações pré-estipuladas. E é tão interessante e importante esta premiação, que para receber este “status”, os inspetores que avaliam o restaurante, além de almoçarem e jantarem durante os dias da avaliação, sempre pagando pelos pratos e seus consumos, não anunciam que o restaurante está sendo avaliado. Em poucas exceções, tal visita é anunciada quando for necessária alguma informação extra ou de difícil acesso (mas vejam que bacana, sempre depois de pagarem a conta!).

Um executivo que veio ao Brasil, em 2015, para avaliar alguns restaurantes que seriam premiados, comentou que apesar de receberem diversos e-mails solicitando visitas em determinados estabelecimentos, só de olharem o Menu, estes inspetores/avaliadores já sabem se aquele local merece uma visita ou não.

Apesar de existir algumas polêmicas sobre o Guia Michelin, criado em 1900 para promover o transporte rodoviário e vender mais pneus desta empresa francesa, ele ainda é uma das melhores formas de avaliar restaurantes. Por outro lado, não se comenta muito sobre quais os métodos utilizados para a avaliação, sabe-se apenas que a qualidade do ingrediente, o modo de preparo correto, a cozinha autora, o equilíbrio de sabores e a regularidade disso tudo são considerados os principais critérios de avaliação.

O restaurante pode receber até 3 estrelas Michelin, mas quando um recebe três estrelas, trata-se de algo extraordinário, e por isso, não são tantos no mundo. E não significa que, recebida a premiação de estrelado, você continue eternamente com esta classificação. Você deve manter o prêmio, ano pós anos. Para ver os restaurantes que são três estrelas no mundo, acesse aqui.

E agora que sabemos um pouco sobre o Guia Michelin, vamos contar como foi a nossa experiência no Amber, em Hong Kong.

Richard-Ekkebus
Foto Divulgação

O restaurante Amber, de comida contemporânea francesa, já recebeu diversos prêmios pela qualidade e pela especialidade da sua gastronomia, inclusive, junto com seu Diretor Chef Richard Ekkebus, foi premiado com duas estrelas Michelin, e recebeu o sexto lugar do prêmio da Asia’s 50 Best Restaurants (um dos 50 melhores restaurantes da Ásia), além de ser considerado o melhor restaurante em Hong Kong por S. Pellegrino.

Maxime Gilbert é o Chef de Cozinha do Amber, um jovem chef francês que saiu de sua cidade natal, na França, para morar inicialmente em Beijing, e agora em Hong Kong, e demonstra um talento brilhante!

Amber significa Âmbar, que é exatamente a cor que prevalece na decoração do ambiente, trazendo um certo aconchego e bem-estar.

Ficamos impressionados com tudo no restaurante! Desde a decoração, que possui mais de 3.500 tubos de cobre no teto, fazendo uma escultura perfeita para a exclusividade do local. Sabe quando você chega em lugar e fica tão impressionado e admirados com a decoração, que não consegue parar de olhar? Pois é… ficamos exatamente assim, até acostumar com toda aquela exuberância.

IMG_8471

E depois que você conhece o restaurante, você entende o porquê do mesmo estar entre os melhores da cidade e da Ásia, além de ter recebido as duas estrelas Michelin. Achamos a qualidade do atendimento de todos os garçons excepcional, sem falar da maestria do Hector Lugo, que é Assistente de Alimentos e Bebidas do The Landmark Mandarin Oriental, e assistiu todas as etapas do nosso almoço.

Não é um restaurante barato! Mas tenha a certeza de que o preço é extremamente justo! Os ingredientes são os melhores, as técnicas, o atendimento e a união de tudo isso fazem com que o restaurante seja mesmo especial!

Para ter um almoço ou jantar no Amber, somente mediante reserva prévia. Faça sua reserva aqui.

Você pode escolher dentre os diversos tipos de Menu que a casa oferece, de acordo com o dia e horário da sua refeição, desde à la carte, ao menu vegetariano, menu degustação e o Menu Platinum. Especificamente para o almoço, que era o nosso caso, tinham outros tipos de menu: menu degustação, o Set Menu (que foi o nosso), e o Final de Semana.

IMG_2073
Starter snacks (entradinhas para começar)

No começo, estes “starter snacks” pareciam mais adornos para a nossa mesa! Mas quase tudo era comestível, os “cogumelos”, que eram semelhantes a um macarron ainda mais leve e delicado, o bolinho na Pinha e até a folha na cor Ambar. Vocês já conseguem imaginar o que estava por vir?! 🙂

IMG_2075

O Menu Set, que é oferecido de segunda a sexta-feira, das 12:00h às 14:30h, possui 3 ou 4 etapas, de acordo com sua escolha. O nosso era de 3 etapas, mas acabou tornando-se 4 etapas devido a um mimo especial oferecido pelo Chef. Poderíamos ter escolhido algum vinho, com a vasta carta de drinks e vinhos do restaurante. Mas como ainda tínhamos muitas atividades para o restante do dia, preferimos não ingerir bebidas alcoólicas.

O menu de 3 etapas é em torno de 598 HKD, e o menu de 4 etapas é em torno de 988 HKD.

De entradas, nós dois escolhemos “delicatesse potatoes“, que foi D.I.V.I.N.O! Algo dos Deus! São batatas ligeiramente defumadas servidas com salada de azeitonas verdes, salicornia (o sal verde substituto para saladas), creme de leite, além de batatas Dauphines (ao fundo), e o chef colocou um ingrediente a mais em nosso prato! Thank you Chef! We really enjoyed! 🙂

IMG_8446
Delicatesse Potatoes
IMG_8448
Batatas Dauphine ou Pommes Dauphine

Depois deste prato, um presente do Chef par ao Blog: uma segunda entrada para nosso deleite: “Wild Yellow Tail“, que é um peixe servido cru sobre uma cama de burrata de búfala, com fatias de morangos verdes, funcho selvagem, e logo atrás, desfocado, um cookie bem leve de semente de erva-doce. Perfeita combinação! Temos certeza de que harmonizados com os vinhos da casa, ficaria ainda mais fantástico!

IMG_8449
Wild Yellow Tail

De prato principal, escolhemos dois distintos: para mim, escolhi o Kabocha Pumpkin preparado com um tortelli, purê com sementes de abóboras torradas e emulsão de Parmesão-Reggiano, que é tipo de queijo italiano com Denominação de Origem Controlada – DOC. Apresentação incrível do prato, e, apesar de ser uma massa, era um prato bem leve. E delicioso!!!!!

IMG_8453
Kabocha Pumpkin

Já o Fábio escolheu um prato à base de peixe, o “Line caught Renkondai“, que foi finalizado na mesa pelo Assistente de Comida e Bebida do Mandarin Oriental, o Hector Lugo. O peixe é assado sobre sua pele, com azedinha e espinafre, fondant de nori, condimentado com limão! Simplesmente espetacular!

IMG_2092
Ampulheta para medir o tempo de preparo do peixe
IMG_8451
Hector Lugo finalizando o prato
IMG_8455
Line caught Renkodai

 Pequenos picolés como pré-sobremesa:

E para sobremesa, também pedimos duas distintas. Fiquei com a “Rubinette Apple“, que era uma maça confitada e caramelizada, em seguida recheada com Gianduia, que é uma mistura feita com 70% de chocolate e 30% de creme de avelã e avelãs tostadas, servida com sorvete de canela cassia. Pensem em algo surreal de bom!

IMG_8464
Rubinette Apple
IMG_2104
Interior da Rubinette Apple

Já o Fábio escolheu “Pineapple“, que era um confit de abacaxi, com mil folhas grelhadas, creme de baunilha madagascar “grand cru”, alcaçuz, limão e mousse de iogurte, com sorbet (sorvete feito a base de água e frutas, bem mais leve) de frutas exóticas. Uma verdadeira explosão de sabores! Espetacular!

 

IMG_8463
Pineapple

E para finalizar, um café e deliciosos bombons, trufas, doces e cookies.

IMG_2110

E foi assim nossa maravilhosa experiência no restaurante Amber, do The Landmark Mandarin Oriental, Hong Kong!

Espero que tenham gostado da nossa experiência no restaurante Amber, do The Landmark Mandarin Oriental, Hong Kong. E se tiverem oportunidade, não pensem duas vezes em fazer uma reserva e curtir este momento que será inesquecível!

Agradecemos ao carinho da equipe do Amber, do Chef, do Hector Lugo, da querida Gladis, que nos acompanhou durante o almoço, e a Xmart, que intermediou nosso contato.

Vejam o vídeo da nossa estadia no The Landmark Mandarin Oriental:

Amber Restaurant

7/F, The Landmark Mandarin Oriental, The Landmark, 15 Queen´s Road Central, Hong Kong

+852 2132 0066

e-mail: [email protected]

Fabiane Teixeira

Brasileira, Mineira de Belo Horizonte, 35 anos, conhece 38 países, é Advogada e Professora de Direito Civil, e nas horas vagas Viajante e Blogueira. Junto com meu Fábio vamos conhecer e te apresentar o mundo!

4 thoughts on “A experiência no restaurante estrelado pelo Guia Michelin: Amber, em Hong Kong

  • 7 de abril de 2016 em 12:20
    Permalink

    Parabéns Tulla e Sra Tulla pelo blog! Muito sucesso e viagens mais ao casal!

    Um abraço!

    Rigotti

    Resposta
  • 7 de abril de 2016 em 03:42
    Permalink

    Adorei o post. Sujiro que corrijam para “Pommes Dauphine” (com “u”), e não “Dalphine”.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »