Conjunto Arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte, é declarado Patrimônio Cultural da Humanidade, pela Unesco

Hoje é um dia muito especial para o belo-horizontino: A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) reconheceu, na manhã deste domingo, em Istambul, Turquia, o conjunto moderno de Belo Horizonte, projetado por Oscar Niemeyer (1907-2012), como Patrimônio Cultural da Humanidade. Veja AQUI.

13716158_1562096770764468_9153318901885096371_n
Foto Divulgação

Agora são 20 os patrimônios mundiais da humanidade tombados pela Unesco no Brasil, sendo a Pampulha o 4º em Minas Gerais, juntando-se aos centros históricos de Ouro Preto e Diamantina, além do Santuário de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas.

Como frequentador assíduo da região e Comandante da 17 Cia da PMMG, responsável pelas atividades de polícia ostensiva de boa parte da região da Pampulha, sinto-me um privilegiado em presenciar tão importante conquista envolvendo um dos pontos turísticos mais importantes da cidade e do Estado de Minas Gerais.

Fomos testemunhas do trabalho incansável de Raquel Guimarães e José Geraldo Prado, da Secretaria Regional Pampulha/Prefeitura de Belo Horizonte e do empenho diário das associações comunitárias “Pro-Civitas” “Somos Pampulha” “APIBB” e “APAM”, também fundamentais em todo processo.

Aos leitores que pouco conhecem da nossa querida BH, é fácil constatar que o Complexo arquitetônico da Pampulha é uma das atrações mais visitadas em Belo Horizonte, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e composto por 4 edifícios (Igreja de São Francisco de Assis, Iate Tênis Clube, Casa do Baile e Museu de Arte da Pampulha – o antigo Cassino). De todos, o Iate Tênis Clube é o único que não pode ser visitado em seu interior, por tratar-se de um clube social particular, ou seja, o viajante/turista somente poderá admirar sua bela construção externa.

Abaixo mapa com localidade do Complexo:

Pequeno resumo sobre cada monumento do Complexo da Pampulha:

  • Igreja de São Francisco de Assis: Projetada por Niemeyer e construída em 1943, na verdade chocou a sociedade por tratar-se de uma construção tão moderna e arrojada. Naquela época, não conseguiram enxergar uma Igreja naquela construção, por incrível que pareça. Desta forma, somente em 1959, a Igreja realmente foi autorizada a realizar cultos religiosos. Os azulejos externos são obras de Portinari, os jardins de Burle Marx e as pastilhas de Luis Pedrosa. E a parte interna da “Igrejinha da Pampulha” possui um belíssimo painel de Portinari que representa a Via Sacra. Não deixe de visitar o seu interior! É belíssimo! Detalhe: o melhor lugar para fotos não é a parte frontal da Igreja, e sim o lado oposto da Lagoa da Pampulha. Entrada Gratuita. Horário de Funcionamento: de segunda a sábado e feriados, das 08h às 17h, e domingo, das 8h às 14h. Endereço: Av. Otacílio Negrão de Lima, 3000.

Realmente é muito difícil escolher apenas um lugar na Pampulha, afinal de contas, todo o seu conjunto arquitetônico e as belezas naturais no entorno de toda orla da Lagoa são surpreendentes. Mas a Igreja de São Francisco de Assis, na minha opinião, tem seu lugar de destaque. Além das lindas fotos, é possível visitar, no mesmo lugar, o toque de genialidade de Oscar Niemeyer, Cândido Portinari e Burle Marx . No interior da “Igrejinha”, nossa fé se reforça por meio da arte e do encantamento. Fantástico!

  • Iate Tênis Clube: projeto de Niemeyer, de 1942, construído com o objetivo de parecer um barco sobre as águas. Como falamos anteriormente, somente poderá ser apreciado na parte externa, pois trata-se de um clube social particular. Endereço: Av. Otácilio Negrão de Lima, 1.350.

Já li em algumas reportagens que o arquiteto Oscar Niemeyer afirmou em algumas oportunidades que a Pampulha é o começo de Brasília, não sei se no bom ou no mal sentido. Infelizmente, a Lagoa da Pampulha não se encontra nos seus melhores dias, assim como Brasília, pois anda muito malcuidado. Das proximidades do Iate temos uma beleza natural ímpar, que merece ser apreciada, e espero que até o final do ano, como prometido pelo prefeito Márcio Lacerda, a Lagoa da Pampulha volte a ser a mesma de outrora, proporcionando momentos únicos e inesquecíveis em que possamos contemplar todo o esplendor de sua fauna e flora.

  • Casa do Baile: Cerca de 500 metros à frente do Iate Tênis Clube, sentido Avenida Antônio Carlos, temos a Casa do Baile, que foi projetada em 1943, para ser um local de dança local. Em seu interior, frequentemente ocorrem exposições de arte e eventos culturais. Observem o painel com desenhos que foram feitos pelo próprio Niemeyer. Entrada: Gratuita. Horário de Funcionamento: de terça-feira a domingo, das 09h às 19h. Endereço: Av. Otacílio Negrão de Lima, 751. Tel. (31) 3277-7443

Moro em Belo Horizonte desde 1987, e desde adolescente sempre achei a região da Pampulha um dos lugares mais bacanas da cidade. Assistir jogos de futebol no Mineirão, passear no Parque Guanabara ou simplesmente caminhar no calçadão… tudo era festa. Nos últimos anos passei a ter um carinho todo especial pela “Casa do Baile”, com suas curvas, seu balanço à beira das águas, a ponte que liga à orla. Além, é claro, das belíssimas fotos no final do dia!!

  • Museu de Arte da Pampulha: é o antigo Cassino da Pampulha e o primeiro da cidade. Foi fundado em 1942, e era palco de grandes atrações musicais. Na década de 40 e início da década de 50, tratava-se de um dos locais mais badalados de Belo Horizonte. Desse local é possível tirar as melhores fotos do Iate Tênis Clube. Entrada: Gratuita. Horário de Funcionamento: de Terça a Domingo, das 09h às 19h. Endereço: Av. Otacílio Negrão de Lima 16.585. Telefone: (31) 3277-7946.

Impressionante como são as coisas. Outro lugar fascinante na orla da Lagoa da Pampulha é o Museu de Arte da Pampulha (MAP). O prédio ainda preserva o glamour de 1943, quando foi projetado para abrigar um cassino. Quantas e quantas vezes já passei pelo local de carro ou correndo, admirando as belíssimas paisagens. Logo na entrada, o museu encanta pela beleza dos jardins do paisagista Burle Marx. Acredite: só fui conhecê-lo por completo no ano passado, numa manhã ensolarada de domingo. Inesquecível!!

Enfim, parabenizamos nossa querida cidade por essa conquista mundialmente reconhecida!!

Como dizia o antigo poeta: NÓS AMAMOS BH RADICALMENTE!!

Veja dicas para um final de semana em Belo Horizonte AQUI.

Veja outros posts sobre Belo Horizonte AQUI.

Para uma série muito bacana de fotos históricas da Pampulha e um resumo de todo processo, que teve início em 2012, clique aqui

Para uma reportagem muito interessante, onde arquitetos mostram detalhes do conjunto arquitetônico da Pampulha, clique aqui.

Fábio Almeida

Major, 43 anos, conhece 38 países, viajante inveterado, cinéfilo, apreciador de vinhos e cervejas especiais, fotógrafo amador, viciado em natação, corrida e quadrinhos! Força na Luta! Sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Content is protected !!