Roteiro: Road Trip pela Eslováquia, Hungria e Polônia (15 dias)

Roteiro de road trip passando pela Eslováquia, Hungria e Polônia em 15 dias.

Compramos as passagens para esta eurotrip (Agosto/2019), com objetivo de fazer uma road trip pela Itália passando pelas mais paradisíacas praias do país. E mesmo sabendo que o calor seria insuportável, as estradas teriam muito congestionamento, as praias estariam lotadas e os preços nas alturas, traçamos um roteiro, fizemos a reserva de carro e de todos os hotéis (sempre reservamos com cancelamento gratuito).

Só que faltando um mês para a viagem, começamos a ver reportagens de que esperavam um dos verões mais quentes na Itália… aí ficamos indecisos se a viagem planejada seria viável. Uma coisa é você sentir calor intenso por um ou dois dias. Mas sentir calor insuportável por 17 dias consecutivos (17 dias por que estou contando os dois que fiquei em Roma antes de começar a road trip), pegar estradas congestionadas, praias cheias de turistas e ainda pagar caro?

Cancelamos todas as reservas e traçamos o roteiro de uma road trip pela Eslováquia, Hungria e Polônia, fizemos novas reservas para hotéis e carro – que sairia por Viena (estivemos na cidade em 2014, veja todos os posts clicando aqui), já que era uma cidade bem estratégica para partida e retorno do roteiro de carro, além de melhores opções de voos ($).

Por que preferimos viajar de carro?

Por que preferimos viajar de carro nesta viagem? Pela liberdade, autonomia, possibilidade de flexibilização do roteiro, ter uma diferente perspectiva, além da facilidade para conhecer outros lugares.

Não necessariamente é o meio mais em conta. O ideal é verificar se é um destino em que outros turistas já fizeram uma viagem de carro, se é seguro, se é permitido, e então, traçar a rota, checar a distância, estabelecer um limite de quilometragem por dia, dividir os dias em cada cidade e fazer a cotação da locação do veículo.

Como ficou nosso roteiro?

E então, nosso roteiro de carro pela Eslováquia, Hungria e Polônia ficou assim:

  • Roma (Itália) – 2 dias (começo da viagem, antes de iniciar a road trip)
  • Viena (Áustria)
  • Bratislava (Eslováquia) – 2 dias
  • Budapeste (Hungria) – 3 dias
  • Cracóvia (Polônia) – 2 dias
  • Auschwitz (Polônia) – 1 dia
  • Varsóvia (Polônia) – 2 dias
  • Gdánsk (Polônia) – 2 dias
  • Poznan (Polônia) – 1 dia
  • Wroclaw (Polônia) – 1 dia
  • Viena (Áustria)

Voo Roma/Viena/Roma

Como nosso voo era São Paulo/Roma/São Paulo (a oferta de promoções para Roma acontece quase sempre), já tínhamos adquirido o voo Roma/Viena/Roma e a companhia aérea fez uma alteração no voo de ida, acabamos ficando dois em Roma.

O nosso voo Roma/Viena/Roma foi pela low cost Laudamotion, que eu nunca tinha ouvido falar e até que ficamos satisfeitos! Não teve atraso, comissários educados, avião novo e bom preço.

Mas como toda low cost, você tem que ficar esperto com a política de bagagem. Primeiro, no voo de ida, compramos o “priority & 2 cabin bags”, que permitiu, além de embarque prioritário, levar uma mochila e uma mala de mão (sim, você paga pela mala de mão).

Na volta, acabei comprando bagagem extra (que custou 40 euros) devido as coisinhas que fui comprando durante a viagem. Pelo “priority & 2 cabin bags”, minha bagagem despachada também teve prioridade.

Aluguel de veículo

Fiz uma pesquisa pela Skyscanner, e o melhor preço para aluguel de carro estava com a empresa “Green Motion“. Retiramos e devolvemos o carro no aeroporto em Viena.

Tem pouco tempo que a empresa está instalada em Viena. E a diferença foi que o horário que coloquei para retirada do veículo, era exatamente o horário que o funcionário da empresa estava no meet point para nos receber. Ou seja, não dá para atrasar ou chegar em horário diferente do que foi marcado.

No meet point, o funcionário fica com uma placa escrita Green Motion, e faz o transfer até o local de retirada – que é a uns 5 minutos do aeroporto. No retorno, eles também fazem o transfer até o aeroporto. Mas confira as informações e orientações do seu voucher, uma vez que isso pode mudar.

Obs.: acho que pelo fato da empresa estar fora do aeroporto, fez com que os preços estivessem mais em conta que as demais locadoras instalados no aeroporto de Viena. Por outro lado, o valor do depósito de garantia foi de 800 euros. Bem salgada.

Carteira de motorista na Áustria:

A pergunta que os seguidores mais fazem é sobre a questão da PID – Permissão Internacional para Dirigir, que nada mais é que uma tradução da nossa carteira, que deve ficar junto com a carteira de motorista.

Eu sempre digo que é melhor você ter e não cobrarem a apresentação dela, que ter que apresentar e não tê-la. Então, confira no Detran do seu estado como emitir a PID e sempre viaje com ela (mesmo que a previsão é de não utilizá-la, pois pode ser que você mude de ideia).

Em Viena, o funcionário da empresa Green Motion cobrou a PID junto com a carteira de motorista, e, além de conferir, tirou cópia e anotou o número de ambos documentos.

Combustível na Europa:

Como nosso carro era muito econômico, ajudou na questão do combustível. Todo nosso trajeto ficou em mais de 2.200km, e abastecemos apenas por 4 vezes. Cada tanque deu em média R$ 150,00.

O valor do combustível variou entre R$ 6,00 a R$ 7,00. E nos postos, geralmente nós mesmos que abastecemos, informávamos a bomba que abastecemos na loja de conveniência e pagamos. Apenas em um posto, na Polônia, que um frentista nos atendeu.

Seguro do veículo:

Nunca deixe de informar que irá com o veículo para outros países, inclusive, com antecedência verifique se sua locadora permite o ingresso do veículo no país de sua viagem. A nossa, por exemplo, constava que nosso carro não era permitido ingressar na Ucrânia e em mais dois países.

Você deve informar que irá a outros países para que o seguro tenha validade lá também. Pois se você não informa, e por falta de sorte acontece algum imprevisto fora do país de origem, você pode não ter a cobertura do seu seguro.

Cross Border Fee na Áustria:

No momento de retirada do veículo na locadora, como informamos a intenção de ir na Eslováquia, Hungria e Polônia, foi informado que deveríamos pagar uma taxa para levar o carro a estes países. Esta taxa chama-se “Cross Border Fee”. E na Green Motion pagamos o valor de 57,50 euros pela CBF – Cross Border Fee.

O valor da CBF pode alterar de valor dependendo da locadora.

Alugar e devolver na mesma cidade:

Alugar e devolver o carro em cidades e até países diferentes, fica bem mais oneroso, já que uma taxa de devolução em local diverso é cobrada (em país diferente é muito mais caro). Sempre fazemos roteiros de forma que retiramos e devolvemos o carro no mesmo lugar.

Vignette na Áustria, Eslováquia, Hungria e República Tcheca:

Vignette é uma taxa para uso da estrada em determinados países. Se você observar pelo mapa da nossa road trip, cortamos a República Tcheca para voltar para Viena, por isso, incluí o país nesta informação.

Como retiramos o veículo na Áustria, ele já tinha a permissão para circular nas estradas do país (o selo estava fixado no canto esquerdo do parabrisa). Mas tanto na Eslováquia, quanto na Hungria e na República Tcheca foi preciso adquirir o Vignette, que é adquirido logo depois de cruzar a fronteira de cada país.

Tanto na Eslováquia, quanto na Hungria, o Vignette era eletrônico. Informamos os dados do veículo (país de origem e placa) e fica registrado no sistema. Logo, você pode conduzir o veículo tranquilamente sem risco de pagamento de multa!

Nestes dois países foi muito fácil de encontrar o Vignette. Logo que cruzamos a fronteira, vimos as placas informativas de venda. E em ambos países (Eslováquia e Hungria) você pode pagar a taxa em dinheiro ou cartão. Eles vão te perguntar também por quantos dias deseja o vignette, sendo que o mínimo é de 10 dias.

E um detalhe importante: saímos da Áustria para a Eslováquia, então pagamos 10 dias de Vignette da Eslováquia (10 euros). Depois saímos da Eslováquia para a Hungria e pagamos o vignette da Hungria para 10 dias (13 euros). Ficamos 2 dias na Eslováquia, depois mais 3 na Hungria. Mas voltamos na Eslováquia no caminho para a Polônia. Entretanto, como o vignette valia por 10 dias, cruzamos o país ainda em seu período de validade. Então, não precisamos comprar outro. Mas se tivesse sido fora do prazo de validade, deveria ser pago novo vignette., ou então, escolher um prazo maior.

Já na República Tcheca, cruzamos a fronteira logo depois de atravessar a cidade de Boboszów, na Polônia. Tinha um ponto de venda logo após, mas ainda estava fechado, pois passamos bem cedo. Então, só para resguardar tirei fotos do ponto fechado, a informação do horário de funcionamento e dei um print no mapa do GPS com nossa localização e horário.

Em menos de 10 minutos depois, encontramos o primeiro posto de gasolina, e conseguimos adquirir o Vignette (também aceita tanto dinheiro quanto cartão, e custou 350 Coroa Tcheca). A única diferença é que tinha o selo (um adesivo mesmo) que deveria ser colado no lado direito do parabrisa – olhe no verso do adesivo que há um desenho explicando o local exato para fixá-lo.

Fronteira entre os países:

Por serem países membros da União Europeia, as fronteiras entre os países são livres. Apenas uma placa marca a fronteira de um país para o outro, e só as vimos devido ao apontamento no GPS, senão, passariam despercebidas.

As estradas:

As estradas entre Áustria, Eslováquia, Hungria, Polônia e Rep. Tcheca são excelentes! A maioria é duplicada, sempre tem área de descanso com banheiro, postos de gasolina com loja de conveniência/banheiros. Uma ou outra estrada a pista não é duplicada e tem que ter mais atenção. No mais, é um tapete!

Existe vignette na Polônia?

Na Polônia não tem Vignette e sim pedágios. Por todo nosso trajeto na Polônia, pegamos apenas três pedágios: na estrada entre Cracóvia e Auschwitiz – ida e volta – que custou 10PLN cada trecho, e na estrada de Gdásnk a Poznan – ida – que custou 30PLN.

Estacionamentos na viagem:

Quando fazemos uma road trip, sempre escolhemos hotéis que possuem estacionamentos. Se for gratuito, melhor ainda! Mas nesta viagem, apenas um dos hotéis não cobrou pelo estacionamento, que foi na cidade de Gdánsk.

Logo que chegamos em cada uma das cidades, deixamos o veículo no estacionamento do hotel, e só tiramos para deslocar para outra cidade, ou no caso de atrações distantes.

No mais, optamos por hotéis na área central, ou próximo de estações de metrô/trem, e fazemos tudo a pé a partir do hotel, ou de metrô.

Chip de internet na Eslováquia, Hungria e Polônia

Usamos o chip da Easysim4you 4G Europa, que realmente é excelente! Funcionou bem em praticamente todos os lugares, seja na cidade ou estrada.

Hospedagem durante a viagem:

Como comentei anteriormente, cancelamos a ideia de ir para o litoral da Itália faltando um mês para a viagem. Então, não tive muito tempo para escolher hotéis. Assim, optei por escolher hotéis da rede Accor, que já conhecemos o padrão de qualidade e forma de atendimento. Apenas os hotéis que pernoitamos em Roma (na ida), Viena, Bratislava e Gdansk que não foram hotéis da rede. Todas as demais cidades nos hospedamos em hotéis da rede Accor.

E lembram que também comentei dos altos preços na Itália? Pois bem, no final das contas, tivemos uma diferença de quase R$ 2.000,00 (para menos) com os hotéis da nossa viagem. E especialmente os hotéis na Polônia possuem preços bem atrativos!

Abaixo, todos os hotéis que ficamos hospedados:

Roma: ficamos hospedados no Hotel Rossi que possui excelente localização e custo. O staff é muito atencioso e gentil. O quarto é simples e não tem ar-condicionado (no site consta a informação de que tem com custo adicional), mas é limpo. Mas a localização do hotel é realmente muito boa! Em frente a estação Termini, ao Mercado Central de Roma, e está situado perto de diversos pontos turísticos. Para reservar, clique no nome do hotel acima – em azul, que será direcionado para o Booking, que somos afiliados. Ao reservar por aquele link, você não paga nada, mas eu recebo uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog.

Fontana di Trevi, Roma

Viena: como só pernoitamos em Viena e o aluguel do nosso carro era no aeroporto de Viena, e relativamente cedo, optamos por pernoitar no Lifehotel Viena (ficamos hospedamos nele da outra vez que estivemos em Viena, mas ele tinha outro nome). Excelente custo benefício para quem pretende ficar perto do aeroporto e tem transfer do/para aeroporto com custo adicional. Para reservar, clique no nome do hotel acima – em azul, que será direcionado para o Booking, que somos afiliados. Ao reservar por aquele link, você não paga nada, mas eu recebo uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog.

Bratislava: escolhemos um hotel que tivesse boa localização além de estacionamento. Assim, optamos pelo Film Hotel. O hotel é todo tematizado, e quem curte cinema, filmes etc., vai curtir bastante a decoração. No mais, o quarto é limpo, a cama confortável, ducha boa, mas localização excelente: muito perto da Old Town. Possui estacionamento em frente ao hotel (vagas na rua, em frente ao hotel), e é pago a parte. Para reservar, clique no nome do hotel acima – em azul, que será direcionado para o Booking, que somos afiliados. Ao reservar por aquele link, você não paga nada, mas eu recebo uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog.

Bratislava, Eslováquia

Budapeste: nesta cidade, escolhemos o Ibis Budapest City localizado no antigo bairro dos judeus e área boêmia. O hotel possui o padrão Ibis da Accor, com café-da-manhã muito bom. O estacionamento é privativo e pago à parte. Como os hotéis em Budapeste possuem diárias mais elevadas, o Ibis até que possui um valor relativamente bom. Para reservar, clique no nome do hotel acima – em azul, que será direcionado para o Booking, que somos afiliados. Ao reservar por aquele link, você não paga nada, mas eu recebo uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog.

Budapeste, Hungria

Cracóvia: ficamos no hotel Ibis Krakow Stare Miasto, que mantem o padrão da rede: limpo, staff educado e gentil. A localização é excelente! A poucos metros da estação de trem e em breve caminhada até a Old Town. O estacionamento também é privativo, e pago à parte por noite. Para reservar, clique no nome do hotel acima – em azul, que será direcionado para o Booking, que somos afiliados. Ao reservar por aquele link, você não paga nada, mas eu recebo uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog.

Cracóvia, Polônia
Auschwitz, nunca mais!

Varsóvia: ficamos no hotel Ibis Warszawa Centrum, que também mantém o padrão da rede, com excelente localização sendo uma breve caminhada até Old Town. Estacionamento pago à parte, por noite. Para reservar, clique no nome do hotel acima – em azul, que será direcionado para o Booking, que somos afiliados. Ao reservar por aquele link, você não paga nada, mas eu recebo uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog.

Varsóvia, Polônia

Gdánsk: foi o hotel mais confortável e luxuoso desta viagem, e um verdadeiro deleite para os amantes de cerveja! Ficamos hospedados no Craft Beer Central Hotel, que possui diária um pouco mais salgada. Mas o conforto e comodidade compensam. Anexo ao hotel existe uma cervejaria com excelente restaurante e cerveja. Os hóspedes recebem uma pint de boas vindas, e tem a facilidade de só descer as escadas do hall até a cervejaria. A ducha do hotel é maravilhosa e a cama é dos sonhos! Fica ao lado da estação de trem e a pouco tempo de caminhada da Old Town. Possui estacionamento, e apesar de terem informado que ele seria pago à parte, não cobraram da gente. Super recomendado! Para reservar, clique no nome do hotel acima – em azul, que será direcionado para o Booking, que somos afiliados. Ao reservar por aquele link, você não paga nada, mas eu recebo uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog.

Gdánsk, Polônia

Póznan: ficamos hospedados no hotel Ibis Poznan Stare Miasto, que está localizado bem próximo do centro histórico, com estacionamento privativo e pago à parte. Para reservar, clique no nome do hotel acima – em azul, que será direcionado para o Booking, que somos afiliados. Ao reservar por aquele link, você não paga nada, mas eu recebo uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog.

Pznan, Polônia

Wroclaw (Breláquia): nesta cidade, ficamos hospedados no hotel Ibis Wroclaw Centrum, que como todos os outros possui o padrão da rede, excelente localização, estacionamento pago à parte (o estacionamento do hotel estava passando por uma reforma para expansão, então, indicaram o estacionamento em frente ao hotel para os hóspedes). Para reservar, clique no nome do hotel acima – em azul, que será direcionado para o Booking, que somos afiliados. Ao reservar por aquele link, você não paga nada, mas eu recebo uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog.

Wroclaw, Polônia

Roma: nosso voo era às 11h da manhã, e não queria ter o estresse com o deslocamento do hotel. Assim, escolhi o hotel Mercure Leonardo da Vinci Airport. Para quem tem costume de ficar nos hotéis da rede Accor, sabe que os hotéis da marca Mercure são diferenciados. Não sei como este hotel consegue manter o nome da marca. Não tem nada a ver com o conceito Mercure. Mas possuía transfer do/para aeroporto (com custo adicional), e está localizado bem próximo do aeroporto. Apenas por isso compensa. No mais é caro para um conceito diferente da marca Mercure. Para reservar, clique no nome do hotel acima – em azul, que será direcionado para o Booking, que somos afiliados. Ao reservar por aquele link, você não paga nada, mas eu recebo uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog.

Então, este foi o nosso roteiro de road trip pela Eslováquia, Hungria e Polônia. Foi uma viagem maravilhosa e inesquecível, que nem por um segundo nos arrependemos de ter trocado o primeiro destino, que era para as paradisíacas praias da Itália.

De todos, Bratislava que parece ser mais cara por adotarem o euro, e a cotação não está vantajosa para nós brasileiros. Mas Budapeste possui um bom custo de viagem, e especialmente a Polônia possui preços excelentes!

Para quem gosta de história de segunda guerra mundial (falo que gosta, mas na verdade ninguém gosta desta parte da história da humanidade) é uma excelente oportunidade de ver de perto como aqueles países sofreram com o Nazismo, especialmente a Polônia.

A última viagem parece sempre a melhor! Mas até agora, nenhuma viagem chegou perto da experiência que tivemos nesta.

Espero que o post ajude quem esteja planejando uma viagem como esta! E em breve começarei os posts de cada cidade!

Se tem algo para compartilhar sobre sua experiência, deixe no comentário abaixo que será muito bem-vindo!

Para cotar e reservar hotéis: somos parceiros do Booking.com. Quase sempre as reservas podem ser canceladas, sem cobrança de nenhuma taxa, o que possibilita que o viajante altere sem ser prejudicado. Ao reserva pelos links do blog, a gente ganha uma pequena comissão que ajuda na manutenção do blog. Para reservar hotéis na Inglaterra, clique AQUI.

Para cotar e contratar seguros de viagem: já falamos várias vezes sobre a importância de contratar um seguro de viagem quando viaja para o exterior. Se o seu cartão de crédito não fornecesse o seguro de viagem gratuitamente, faça sua cotação com nosso parceiro Seguros Promo, uma empresa de BH que cota os melhores preços de seguro para a modalidade que você pesquisa. Para fazer sua cotação clique AQUI, e digite o código VIVENCIAS5 para ganhar 5% de desconto.

Para comprar chip de dados para viagem internacional: não dá para viajar para o exterior sem internet no celular. Até que dá… mas torna tudo mais difícil. Se a gente pode simplificar, então vamos simplificar. Somos parceiros do Viaje Conectado, que é um revendedor da T-mobile e oferece chips de dados com internet ilimitada para mais de 140 países. Para comprar seu chip, clique AQUI.

Fabiane Teixeira

Brasileira, Mineira de Belo Horizonte, 35 anos, conhece 38 países, é Advogada e Professora de Direito Civil, e nas horas vagas Viajante e Blogueira. Junto com meu Fábio vamos conhecer e te apresentar o mundo!

3 thoughts on “Roteiro: Road Trip pela Eslováquia, Hungria e Polônia (15 dias)

  • 26 de agosto de 2019 em 21:46
    Permalink

    Viagem maravilhosa!
    Queria uma dica de quais passeios vocês acham imperdíveis em Budapeste?

    Resposta
    • 27 de agosto de 2019 em 10:57
      Permalink

      Oi, Fê!
      Vou fazer um post exclusivo com essas dicas. Mas o que julgo imperdível: Parlamento Húngaro, Castelo Buda, Basílica de Santo Estevão, Monumento dos Sapatos à beira do Danúbio, passeio noturno de barco pelo Rio Danúbio, o antigo bairro Judeu, que é uma área bem boêmia de Budapeste, especialmente os “ruins bars”, que são aqueles que mostrei em ruínas. O mais famoso e que tem que ir, é o Szimpla Kert. Também vale a pena ir no Grande Mercado é bem bacana para compras de produtos típicos, ir na Casa do Terror, que é o museu que conta sobre as vítimas políticas do país… e por fim, se for curiosa como eu para ver as termas, escolha uma e vá. Mas é uma muvuca! Rsss…
      Por enquanto é isso, Fê.
      Sobre os hotéis, vou te responder lá no Direct.
      Beijos,

      Resposta
  • 26 de agosto de 2019 em 08:09
    Permalink

    Nossa, ameiiii. Que viagem Emocionante!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »