Como visitar o Crater Lake National Park, no Oregon

A gente pode ir em vários lugares… mas até agora, um dos lugares que mais nos impressionou foi o Crater Lake, localizado no Estado do Oregon, USA. E neste post, contamos como visitá-lo!

 

Trata-se de um lago construído ao longo de muitos anos (em torno de 6.500/7.000. as informações variam), através da água de chuva e derretimento de neve, na cratera de um vulcão extinto, motivo pelo qual tem-se o nome Crater Lake. Ele é o lago mais profundo dos Estados Unidos, com quase 600 metros (594m) e com uma claridade e limpidez inacreditável (O recorde da medição de clareza da água foi de 41 m, realizada em 1994). Sua extensão também impressiona, em torno de 9,7 Km por 7,3 Km.

Até decidirmos realizar uma road trip pela Costa Oeste do Canadá e Estados Unidos, não tínhamos ouvido falar em Crater Lake. Mas tivemos a sorte de ler o livro Livre, da Cheryl Strayed, que acabou virando um belíssimo filme! A autora do livro, que conta sua própria história depois de algumas frustrações e perda da sua mãe, decide caminhar pela Pacific Crest Trail (PCT), que vai do México, cruza Estados Unidos até o Canadá.O livro é muito bacana e acabamos empolgando com este estilo de viajar (trilhas)! Mas em um ponto bem interessante do livro, Cheryl relata sua passagem pelo Crater Lake! E… pronto! Quando ela relatou, tivemos a certeza absoluta que passaríamos por lá, mesmo que alterasse um pouco do nosso roteiro (Vancouver, Seattle, Portland, São Francisco, Los Angeles e Las Vegas). E como dá para ver do mapa abaixo, não seria uma alteração gritante! Então, adequamos tudo para que pudéssemos passar no Crater Lake.

Como chegar:



O Crater Lake está localizado no Crater Lake National Park, administrado pelos Parques Nacionais dos Estados Unidos, e fica no Estado do Oregon, um dos mais belos que visitamos nos Estados Unidos. Para começo de conversa, o Estado do Oregon conta com 196 parques! E de Portland ao Crater Lake, a gente quase que ficou só na estrada, de tanta paisagem bonita que vimos!

Chegar ao Crater Lake não é tão fácil quanto parece! Os aeroportos mais próximos são em Medford (80 km do Parque) e Klamath Falls (cerca de 60 milhas do Parque), cidade que também é atendida pela Amtrak (trem). Não há ônibus que faz o trajeto para o Parque. Nós fomos de carro.

Partimos de Portland bem cedo, que fica a 286 milhas, em torno de 5 horas e meia. E como o Oregon é um dos Estados Americanos Tax-Free, ou seja, que não tem aquele imposto que varia de Estado para Estado, e acaba aumentando sua conta, acabamos demorando um pouco mais do previsto, ficar em Eugene, e de lá, partir bem cedo.

De Eugene, acabaria ficando “mais tranquilo” para a gente chegar no Crater Lake, já que eram 181 milhas (3h20). Doce ilusão! Ficamos encantados com tanta paisagem bonita, que chegamos quase no final do dia em nosso destino!

Você deve ficar atento ao GPS, quando traçar o caminho até o Crater Lake. A estrada que você encontra mais paisagens bonitas é pela OR-58 E, que vai passar pelo Diamond Peak. Nossa intenção era também passar pelo Diamond Lake, que é um lago incrível na região. Mas ele passa pela OR-138, e como tivemos um pouco de dificuldade com o GPS, acabamos não conhecendo o lago. Obs.: no inverno, estas estradas costumam ficar fechadas, e somente ser possível chegar ao Crater Lake pela 62 Hwy (Crater Lake Highway).

Algumas estradas para o Crater Lake fecham no inverno, ou dependendo da quantidade de neve que estiver por lá (já que pode cair neve fora do inverno também). Então, você ainda precisa confirmar a situação das estradas no próprio dia da sua visita, neste link, que aparecerá uma informação parecida com esta:

Mesmo vendo as condições da estrada no link acima, também consultávamos a webcam, que mostra dia-a-dia a imagem da estrada que chega ao Crater Lake.

Câmera ao vivo no Crater Lake

Com esta situação do GPS traçar a rota que pode estar fechada, para não ficar perdido, o ideal é dar um print do mapa no celular (internet pode não pegar em todos os pontos, já que é uma região de mais parques, matas mais fechadas e estradas desabitadas). Bem, isso foi o que salvou! Porque o GPS colocou a rota para a estrada fechada, o telefone não pegava internet, e depois de um certo ponto, fomos guiando pelas telas que tínhamos dado print, anteriormente. Até chegar no ponto onde há placas indicando o Crater Lake.

Agora, vejam algumas fotos do caminho até Crater Lake, que foi em um dia gelado, pois o dia amanheceu com uma temperatura em torno de -8C:

A caminho do Crater Lake
A caminho do Crater Lake
Diamond Peak, Oregon

Em uma das partes mais legais deste trajeto, resolvemos trocar a direção do veículo para o outro descansar e dormir um pouco, e então, acabamos sem tirar algumas fotos! Nesta parte, a estrada fica mais fechada, com corredeiras e cachoeiras próximas ao caminho, tornando um trajeto indescritível!

Entrada para o Crater Lake

O primeiro local que você encontrará no Crater Lake National Park é o Visitor Center, onde você encontrará muitas informações sobre o parque, além de mapas e em uma maquete, onde lhe mostrarão todos os locais abertos, etc. Quando fomos, tinha nevado nos dias anteriores, então estava tudo branquinho, com um céu azul incrível!

Crater Lake

Hospedagem:

Como fomos em meados do mês de novembro, quase tudo estava fechado, inclusive o único hotel do parque, o Crater Lake Lodges, estava fechado. Devido a quantidade de neve que o local recebe, a maioria das atrações e hospedagem ficam abertos entre meados de maio e outubro, ou seja, em torno de seis meses, apenas.

Crater Lake Lodges ao fundo da foto (vejam a quantidade de neve!)

Para quem quiser, também tem o Mazama Village Motor Inn, que dispõe de 40 unidades, abertos também na mesma época, mais informações neste link. Além dos campgrounds.

E caso você não queira ficar no Parque, existem algumas opções em cidades próximas. E, claro, como tudo é sempre tão organizado nos Estados Unidos, eles também te fornecem uma lista com algumas indicações.

O que fazer no Parque:

O Crater Lake National Park é enorme, e é ideal que você planeje sua visita, já que o parque possui inúmeras atrações e atividades.

Infelizmente não pudemos planejar uma visita adequadamente, porque aproveitamos nosso roteiro para passar por lá. E como já estava em época de muita neve (dá para ver da quantidade armazenada ao longo da estrada), não tivemos muito o que fazer, a não ser uma caminhada mais próxima ao café. Nem dormir no Lodge conseguimos, pois já estava fechado!

Importante ressaltar que o Parque fica aberto durante todo o ano, mas algumas atrações e atividades ficam limitadas durante o inverno.

Apenas no verão, a West Rim Drive e East Rim Drive ficam abertas. Então, vejam o pouquinho que pudemos visitar, circulado de amarelo:

No verão, mais precisamente em julho, a Rim Drive fica aberta. Então você pode caminhar, andar de bicicleta e até fazer o passeio de carro, praticamente ao redor do lago. Também poderá fazer trilhas pelas florestas, ou até o próprio lago, passeios de barco até Wizard Island (aquele cone que se vê no Lago) ou de bonde, programas guiados por guarda florestal, natação, pesca (caçar é proibido), além de programas noturnos, camping e outras atividades que podem ser conferidas no site. Dá para acreditar que por lá tem até cachoeira?

Já no inverno, você pode esquiar, andar em moto de neve, fazer caminhadas com bastão, mas tudo deve ser agendado previamente.

Agora, vamos conhecer um pouco deste local inesquecível, lembrando que fomos numa época extremamente limitada (novembro/13).

Depois do Visitor Center, na estrada a caminho do ponto onde as mais belas fotos são tiradas!
Crater Lake e a quantidade de neve
O Crater Lake! Aquele monte no meio do lago é o Wizard Island, onde é possível visitar durante o verão

Crater Lake
Crater Lake
Crater Lake e uma estrada de quase 1 metro de neve
Crater Lake
Neste ponto, tem-se uma bela visão do Crater Lake, e está ao lado do Crater Lake Lodge, o único Hotel do Parque.

Crater Lake

Informações adicionais:

O Crater Lake National Parque tem horário diferenciado de acordo com as estações do ano, especialmente verão e inverno. Confira todos os horários de funcionamento neste link, e fique atento às informações do site nos dias anteriores à sua visita, bem como no próprio dia da visita!

Os valores da entrada no Parque são de acordo com o tipo de carro (10 dólares), ou motocicletas, bicicletas e pedestres (5 dólares). Veículos comerciais tem preço diferenciado. Confiram neste link.

Se você quer realmente explorar o Crater Lake, opte pelo verão! Inverno, como disse anteriormente, fica muito limitado a visita ao Parque.

Se puder dormir por lá, vale muito a pena! Pois como disse anteriormente, não é tão fácil chegar ao Crater Lake! E para quem gosta deste tipo de passeio, tem muitas atividades que não serão possíveis fazer em um único dia! Sem falar da experiência memorável de poder dormir e acordar com um cenário deste.

Espero que tenha gostado do post e que possa inspirar a muitos viajantes!

Se tiver alguma informação adicional, escreva nos comentários para que possamos auxiliar outros visitantes.

Fabiane Teixeira

Brasileira, Mineira de Belo Horizonte, 35 anos, conhece 38 países, é Advogada e Professora de Direito Civil, e nas horas vagas Viajante e Blogueira. Junto com meu Fábio vamos conhecer e te apresentar o mundo!

9 thoughts on “Como visitar o Crater Lake National Park, no Oregon

  • 12 de julho de 2017 em 11:28
    Permalink

    E agora dou uma passada, talvez final por aqui, porquanto ainda estou dentro do mesmo longínquo farwest americano, estou no centrão do Oregon. É semideserto, mas a presença humana é forte. Os americanos ocuparam seus desertos. A começar pela rodovia uma tal de US 20. Asfalto novo, talvez porque “não passa ninguém”. Estou no “mile 67”. Uma pequena placa rodoviária nomina o localzinho “Hampton” na vastidão nivelada vigiada ao longe por cordõeszões de serras modestas. Mas de vez em quando uma fordona ou chevrolezona passa por mim. O americano não anda mais de lincão, mas praticamente só anda de caminhonetonas suntuosas… fiquem com Deus!…:)

    Resposta
  • 11 de julho de 2017 em 11:32
    Permalink

    Estou num lugar menos glamouroso desta região noroeste ou farwest dos Estados Unidos. Estou numa tal de Dunham road, como que perdida numa solidão aberta das estradas no silêncio de modestas colinas semi áridas, desabitadas e esverdeadas, nordeste do Oregon. É um lugar qualquer, parece que estou sozinha. Ninguém na estrada comigo. Ninguém coisa nenhuma, o Criador me observa e seu filhão viaja comigo na boléia, na boléia do meu coração. Em qualquer lugar que estejamos somos predestinadas, monitoradas e sincronizadas. Uma placa rodoviária me passa tão de súbito, fugaz e ilustre o quanto como visitante estou: ilustrada com o perigo de pneus derrapando adverte “when wet or icy” …:)

    Resposta
  • 23 de março de 2015 em 19:17
    Permalink

    Olá Fabiane,
    Gostei da sua resposta ao "anônimo", quanto à viver viajando. Penso da mesma forma.
    Além de Crater Lake, você tem alguma sugestão para o Oregon. Estamos indo em junho para Portland e desceremos até San Francisco de carro.
    Abraço

    Resposta
    • 12 de abril de 2015 em 19:18
      Permalink

      Olá, Ricardo!
      Respondi seu email… você viu?
      Bem, Oregon tem muitos lugares lindos! Inclusive em Portland! Já pensou no Mount Hood?? Se me lembrar de mais algum, eu te falo no email…
      Abs,

      Resposta
  • 16 de fevereiro de 2015 em 14:30
    Permalink

    Oi Fabi!! Acho que esse era um dos posts que eu mais esperava!!
    Não é segredo que você me fez colocar o Crater Lake nos meus planos desde quando vi suas fotos… Esse ano vamos pra lá e estamos com os planejamentos a mil!!
    Não estamos com a data 100% definida ainda, mas a ideia é sair daqui na primeira semana de setembro. O nosso roteiro vai ser Oregon/Seattle/Vancouver/Rochosas!! Acho que setembro vai ser o mês ideal, não vai mais ser o auge do verão, mas ainda vai ser verão e os paques e os lagos estarão lindos!!
    Uma pergunta… Chequei a possobilidade de ficar no Lodge lá no Crater Lake mas pasme: com 7 meses de antecendência, quase todos os dias de setembro estão solt out! E como ainda não definimos as datas certas, não temos como reservar ainda… Vocês ficaram onde? Provavelmente vamos partir de Eugene também, como vocês fizeram…
    Espero passar mais uns dias no Oregon, tem tantos parques incríveis lá… O site deles é a coisa mais linda! Ainda me impressiono com a capacidade dos americanos de promover suas cidades e estados para o turismo… O site tem de tudo! É dos mais completos que já vi e a vontade de passar mais uns dias por lá é bem grande… 🙂
    Obrigada pelas informações, por me apresentar a essa maravilha…
    Beijos!

    PS: Adoro essas pessoas que comentam como anônimas… Sinto a inveja gritando daqui!! Aff….

    Marcela Nering

    Resposta
    • 16 de fevereiro de 2015 em 15:04
      Permalink

      Marcela!!!!!!
      Que bom que leu o post! Rsss…
      Tenho certeza de que esta road trip será maravilhosa! Tenho tentado muito encaixar as rochosas em nossas planos, mas este ano, por exemplo, está complicado!
      Setembro ainda é um mês maravilhoso para fazer esta viagem… nem frio, nem calor… e tudo aberto! rssss
      Você vai amar o Oregon! É um dos Estados Americanos mais lindos que já visitamos! E tax-free! Pensa só!!!
      Quanto ao Hotel, era totalmente meu sonho! Mas estava fechado! Como tivemos o problema de ficar mais em Portland, e pernoitar em Eugene, acabamos perdendo nossa hospedagem em Ashland.
      Considere Ashland um bom lugar para ficar, viu? Lugar lindo e pretendo muito visitar um dia!
      Olha, minha amiga!
      Triste dizer isso, mas a cada dia aumenta minha vontade de morar por um tempo lá nos Estados Unidos! É tudo muito organizado, e as coisas funcionam muito bem! Eles investem mesmo no turismo e bem estar dos visitantes!
      Quando vejo o site dos parques americanos, vejo que não conheço nada!!!!! rssss….
      Se quiser me mandar email, te respondo em tudo viu?
      Quanto ao comentário, não ligo não! Infelizmente é uma dúvida que todo mundo tem como a gente viaja assim… é de parentes, amigos, todos! Estes dias recebi um email perguntando se eu era guia turística, pois queriam um orçamento! Mas tem, também, comentários maldosos! Uma moça me chamou de Bruxa Mafalda só por causa do meu chapéu lindo lá no Central Park! rsssss

      Beijos!!!!!

      Resposta
    • 18 de fevereiro de 2015 em 18:01
      Permalink

      Oi Fabi!!! Obrigada pelas dicas!!
      Bom, o meu planejamento ainda tá no começo… Mas pode deixar que eu te mando email se tiver alguma duvida mais específica!!
      Olha… As Rochosas estão nos meus planos desde que eu descobri que elas existiam… Nem sei qto tempo faz isso, mas é daqueles lugares que só vou acreditar que é de verdade MESMO quando tiver lá… Sabe como é? 🙂
      E o Crater Lake tb… Desde q vc me apresentou que sonho em conhecer… Tem coisa melhor do que sonhar com um lugar e enfim conhecer? Pra mim essas são as coisas que valem a pena na vida!!
      Pois é, eu apenas MORRO de vontade de morar um tempo nos EUA tb… É um país tão incrível, com tanta coisa pra conhecer… As pessoas são tão hospitaleiras (especialmente longe dos lugares turisticos!) e eu tenho a sensação que TUDO funciona muito bem… Obvio que tem problemas como qq lugar… Mas se for comparar com o tanto de zica que tem aqui… Olha… Dá tanta tristeza!! Achei o máximo que vcs puderam ficar quase 2 meses lá, 1 mês inteirinho de NY… Muito bom!!
      Nós fomos 2x ano passado… Estamos indo no começo do mes que vem passar uns diazinhos na Flórida… E em setembro tem as férias de verdade!!
      Essa conversa de: ~mas coooomo vcs arrumam tanto dinheiro pra viajar?? E vão sossegar quando? E os filhos? Vcs tão ficando velhos heeein??~ me dá uma preguiçaaazzz…. hahahaha
      Foi como vc disse: viajar é prioridade por aqui… prioridade 1, 2 e 3!! Economizamos, planejamos com muuuita antecedencia… Mas isso ninguém vê, né? Isso q viajamos bem menos q vcs, pq temos uma vida mais "regular"… empregos de 8hs por dia/5 dias na semana e tal… Mas isso não é impedimento e sempre que dá, a gte inventa alguma coisa…
      E quanto aos filhos… Se vierem não será essa uma razão pra "sossegar"… Sossegar pra q, gente?? Esse mundo é muito grande e a vida mto curta pra ficar parada!! hahaha

      Gente cooomo assim Bruxa Mafaldaaa??? Hhahahahahahha
      Seu chapéu eh LINDO e isso é recalque, isso sim!!! hahahahhhaha
      🙂

      Beijos, querida!!!

      Resposta
  • 16 de fevereiro de 2015 em 14:27
    Permalink

    O lugar realmente parece incrível!
    Agora uma pergunta: como vcs. viajam tanto?
    A vida de vocês é só de viagens? Não pensam em futuro, como ter casa, filhos, etc?

    Resposta
    • 16 de fevereiro de 2015 em 14:55
      Permalink

      Olá!
      Essa é a dúvida de muita gente, e no começo, confesso que me incomodava ter que responder. Mas com o tempo, entendi que realmente é uma situação curiosa um casal viajar tanto.
      Sou advogada e tenho meu próprio escritório em sociedade com uma amiga. Daí, já dá para imaginar que tenho grande flexibilidade para viajar. Durante nossas escapulidas, ela me ajuda bastante, já que é sócia e amiga!
      Também sou professora de Direito Civil da Polícia Militar, mas as aulas e cursos são bem curtos, então não prejudicam em nada nossas viagens.
      Noivo é Major da Polícia Militar e Comandante de uma Cia, além de também ser professor na PM.
      Por enquanto, todos os nossos dias livres são dedicados a viagens, e este é o nosso maior investimento.
      Cada pessoa decide em que quer escolher, seja na carreira profissional, seja com o sonho de uma linda casa, seja com a casa cheia de filhos.
      Como disse, por enquanto, o nosso maior objetivo e investimento é viajar. Então, poupamos nosso dinheiro para passagens aéreas, hospedagens, etc…
      Viajar já foi caro! E hoje é mais uma questão de programar com antecedência! Já no ano passado, programamos a maioria das viagens deste ano, e já temos 5 definidas e praticamente pagas. Planejamento!
      A nossa vida não é só de viagens não! É de muto trabalho e dedicação, tanto que tenho tido pouco tempo para postar aqui!
      Mas adoramos também momentos gourmets com nossos amigos, tanto, que temos um pequeno grupo que chamamos de Confraria!
      Casa já temos, graças a Deus! Mas não compartilhamos sobre estas questões tão particulares em nossas redes sociais! Acreditamos que nossa casa é um templo que deve ser reservado e preservado!
      Filhos…… hum… filhos! O futuro a Deus pertence, né?
      Abs,

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »