Roteiro de Road Trip pela Bulgária e Romênia

Conhecer países da Europa que não aderiram a zona do Euro é uma excelente opção! Ainda mais em época de crise, onde nossa moeda está tão desvalorizada. Neste contexto e prevendo que a economia ficaria ainda mais difícil em 2016, em outubro de 2015, adquirimos nossas passagens para Sófia, na Bulgária, que apesar de fazer parte da União Europeia, ainda não aderiu à zona do Euro. No começo, com os 15 dias que teríamos, pensamos em fazer uma road trip pela Sérvia, Bulgária e Romênia. Mas mesmo com a falsa impressão de que viajar pela Europa é perto (o que na verdade, nem sempre é), acabamos desistindo e ficando somente com a Bulgária e Romênia.

Mas quem já acompanha nossas road trips, sabe que a gente nunca passa pelo mesmo caminho na volta, a não ser a cidade de chegada e partida da viagem (também gostamos de fazer com saída e retorno na mesma cidade, por que as taxas de devolução em outra cidade ou país costumam ser bem caras). Tentamos sempre fazer um roteiro que fique omo um círculo e jamais repetir o caminho. Mas desta vez, isso foi meio complicado, pois nos tomaria mais tempo que se voltássemos pelo mesmo caminho. Então, decidimos voltar pelo mesmo caminho e pernoitar em Bucareste, antes de voltar para Sófia.

Nosso roteiro ficou assim:

Dia 1: Sófia, Bulgária

Dia 2: Sófia, Bulgária

Dia 3: Rila, Bulgária

Dia 4: Ida de Sófia, na Bulgária, para Bucareste, na Romênia

Dia 5: Bucareste, Romênia

Dia 6: Bucareste, Romênia

Dia 7: Constanta (ou Constança), Romênia

Dia 8: Ida de Bucareste para Brasov, com parada em Snagov; resto do dia em Brasov, Romênia

Dia 9: Brasov, Romênia

Dia 10: Rasnov e Bran, Romênia

Dia 11: Codlea, Fagarás e Transfagarasan, Romênia

Dia 12: Sighisoara, Romênia

Dia 13: Sibiu, Romênia

Dia 14: Volta para Bucareste, passando por Zarnesti e Sinaia

Dia 15: Volta de Bucareste para Sófia, Bulgária

Os únicos dias que ficamos o dia todo na estrada foram no dia 4 e no dia 15, pois a distância era muito longa e contando as paradas para lanche, almoço, passamos praticamente o dia todo na estrada, sem nenhuma atividade ou visita a algum determinado ponto.

Bulgária:

Visitamos as cidades de Sófia e Rila. Mas vale muito a pena conhecer a cidade de Plovdiv.

Idioma: Búlgaro (mas na maioria dos bares, restaurantes e hotéis fala inglês)

Moeda: Lev Búlgaro, sigla BGN, que atualmente está em torno de 1 BGN = R$ 2,00 (em setembro/16).

Fuso Horário: 6 horas em relação ao horário de Brasília.

Comida Típica: Shopska (uma salada a base de pepino, tomate, pimentões, cebola e queijo; Ayran (bebida refrescante à base de iogurte, água e sal); Baklava: pastel de massa folhada, com nozes trituradas, banhando em uma calda de xarope ou mel.

Destaques: bebidas e comidas com excelente preço! As lojas também colocam produtos com preços muito convidativos. Ponto negativo: muitos fumantes por todos os lados.

Romênia:

Visitamos as cidades de Bucareste, Constanta, Snagov, Brasov, Bran, Rasnov, Codlea, Fagarás, Sibiu, Sighisoara, Zarnesti e Sinaia. Quem estiver com mais tempo, vale a pena conhecer Alba Iulia, Turda, Timisoara, e a Cascata Bigar, próxima à cidade de Poneasca.

Idioma: Romeno e grande maioria também fala francês (mas na maioria dos bares, restaurantes e hotéis fala inglês)

Moeda: Lei Romeno, sigla RON, que atualmente está em torno de 1 RON = R$ 0,80 (em setembro/16).

Fuso Horário: 6 horas em relação ao horário de Brasília

Comida Típica: Ciorba (uma sopa bem temperada); Sarmale (carne de porco moída e misturada com arroz, ervas, enrolada em folhas de repolho); Tochitura (carne cozida com cebolas); Mici ou Mititei (carne moída bem temperada, em formado de rolos, servida assada – muito suculenta! Deliciosa!!!); a sobremesa chama-se Papanasi  (bolinho feito de queijo cottage, com creme de queijo e geleia, em torno de 1.000 calorias!!!).

Destaques: excelente preço para as bebidas e comida, e tudo bem servido. Ponto negativo: conexão na internet e atendimento meio devagar e mau humorado na maioria dos restaurantes, bares, cafés, etc.

Dirigir na Bulgária e Romênia

Alugamos o carro do Brasil (para alugar um carro clique AQUI, você não paga nada a mais por isso, e nós recebemos uma pequena comissão, que ajuda na manutenção do blog.), e programamos para buscá-lo no dia que seguiríamos viagem para Bucareste, na Romênia. Não justificaria alugar carro em Sofia, na Bulgária, se a maioria das atrações concentrava no Centro Histórico da cidade, onde faríamos tudo a pé. E para ir até o Monastério de Rila, fechamos com uma empresa diretamente no Hotel.

Apesar de estarmos com nossa PID – Permissão Internacional para Dirigir, não foi solicitada. Apenas pediram nossa carteira de motorista aqui do Brasil, além do passaporte.

As estradas são relativamente boas. Mas bem inferiores da qualidade das que já tivemos o privilégio de dirigir. Para quem quiser cruzar a fronteira da Bulgária e Romênia de carro, é importante saber que, mesmo sendo países da União Europeia, tivemos que apresentar passaportes e esclarecer algumas dúvidas para os policiais. Achamos bem diferente isso, por que já atravessamos a fronteira de outros países na Europa, também da UE, e não teve nada de parada, checagem de passaporte e carimbo de imigração.

Outro ponto bem chatinho disso é que a fila é extensa! Quando você coloca a cidade de Bucareste no GPS, dois caminhos são mostrados. Um deles possui travessia de balsa, e outro, o mais comum, é pela cidade de Ruse (Bulgária) e Giurgiu (Romênia),

Quando se aproximar da fronteira, é possível avistar a fila de caminhões e carros. É bom seguir o fluxo dos carros, por que os caminhões e carretas ficam mais tempo parados para a checagem. E a passagem para veículos e caminhões é diferente. E antes da fronteira ainda, mas já nesta “bagunça”, devemos pagar um pedágio de 4Lev (lembrando que pagamos em Lev por que estávamos saindo da Bulgária). Depois passamos na imigração, eles pediram passaportes e documentos do carro. Depois disso, mostraram um guichê para pagarmos o “Viniete”, uma taxa de 31,23Lei, para circularmos na Romênia durante 30 dias. O recibo colocamos junto com o documento do carro.

Na volta, o mesmo procedimento, mas pagamos o pedágio na moeda Romana (8Lei) que é mais ou menos o mesmo valor da taxa da Bulgária. Depois fila para imigração, carimbos e ok.

Notamos que a Fronteira na parte da manhã é mais vazia que a parte da tarde.

Combustível tanto na Bulgária quanto na Romênia é caro. O preço dos postos da cidade são mais em conta que os preços dos postos de estrada. Então, melhor se precaver e abastecer na cidade.

Os postos de combustível sempre tem um atendente para auxiliar no abastecimento.

Estacionamento público não é caro, e é muito comum as pessoas pararem sobre os passeios. Mas confirme se naquele local é realmente permitido estacionar o veículo no passeio, para evitar qualquer reboque indesejado.

🙂

Internet Easysim4u

Tivemos a Easysim4u como nossa parceira nesta viagem. A internet na Bulgária é ótima! Mas na Romênia infelizmente não é boa, até mesmo em WiFi de bares, restaurantes, etc., mal conseguíamos acessar nossas redes sociais. Entretanto, tivemos sorte que pelo menos o Google Maps conseguíamos carregar e pesquisar os locais que iríamos (mas bem devagar e diferente da Bulgária).

Falaremos em um post sobre como funciona este chip, quanto custa e onde comprar. Logo compartilharemos AQUI.

Seguro de Saúde/Viagem:

Você pode contratar seu Seguro de Saúde/Viagem AQUI. Você não paga nada a mais por isso, e nós recebemos uma pequena comissão, que ajuda na manutenção do blog.

Sobre as cidades que conhecemos:

Sófia, Bulgária (veja nosso post sobre a cidade AQUI:

É a capital da Bulgária e uma cidade surpreendente! É impossível não se apaixonar pelos arquitetura antiga, os templos religiosos, a montanha Vitosha sempre imponente vigiando a cidade, e a charmosa Vitosha Boulevard, cheia de lojas, bares, cafés e restaurantes. A cidade quer o título de Capital Europeia da Cultura 2019, é uma fusão entre o oriente e o ocidente.

Quantos dias ficar? De 2 a 3 dias, contando um dia para fazer um bate-volta a Rila. Se for à Vitosha Moutain pode incluir mais um dia. Também existem passeios de um dia em Plovdiv, colocaremos todas as informações no post detalhado da cidade de Sófia.

Onde se hospedar? Ficamos hospedados no Best Western Art Plaza Hotel, com excelente localização: em uma rua paralela à Vitosha Boulevard, em pleno centro histórico, de onde conseguimos fazer tudo a pé! O café-da-manhã é satisfatório com algumas comidas locais, além de pães, croissants, frutas, ovos, queijos, presunto, bacon, sucos, iogurte, café, chá, geleias e cereais. O nosso quarto não era tão grande, mas com uma janela bem ampla com vista para a charmosa rua onde está localizado. Os funcionários também são muito educados e atenciosos. (Se reservar pelo link

Principais atrações: Catedral de Alexander Nevsky, Igreja de Boyana, Russian Church, Teatro Ivan Vazov, Rotunda de St. George, Igreja de Sta. Sofia, Sofia Sinagogue, Vitosha Boulevard, Casa de Banho Mineral Público, Mercado Central, Igreja de St. Petka e a Praça do Palácio Nacional da Cultura.

Passeios que valem a pena fazer em Sofia e a partir de Sofia: Free Tour Sofia, Vitosha Mountain, Monastério de Rila, Plovdiv.

Rila, Bulgária (veja nosso post AQUI):

O Monastério de Rila é o atrativo que conduz milhares de turistas à Bulgária, e é muito especial por todos o Búlgaros. Mas não é para menos, pois trata-se do maior e mais famoso mosteiro da Igreja Ortodoxa na Bulgária, honrosamente declarado como Patrimônio Mundial da Unesco. Está localizado a aproximadamente 130 km de Sófia, e a maioria dos turistas faz o passeio conjugado com a Igreja Boyana, que foi o que fizemos.

img_0710

Bucareste, Romênia:

Bucareste é a capital da Romênia, já foi conhecida como a Pequena Paris do Leste Europeu, é palco de grandes obras comunistas, como o Palácio do Parlamento, além das grandes e vastas avenidas ao longo da cidade. O Centro Histórico ainda concentra grande quantidade de prédios de arquitetura antiga, mesmo com alguns prédios em flagrante destruição. A cidade de Bucareste também é famosa por suas festas alegres e eletrizantes! 🙂

img_0870

Quantos dias ficar? De 2 a 3 dias pode ser suficiente. Bucareste possui uma infinidade de museus, então caso pretenda visitar muitos deles, é recomendável adequar a quantidade de dias. Por exemplo: gastamos um período da manhã para visitar o Museu Militar, e um período da tarde para realizar o tour guiado no Palácio do Parlamento.

Onde se hospedar? Ficamos hospedados em dois hotéis diferentes na cidade, ambos da Rede Accor. O primeiro, o Ibis Bucuresti Palatul Parlamentuliu, adoramos tanto a localização quanto suas dependências. O hotel está localizado em frente ao Palácio do Parlamento, e a 20 minutos de caminhada do Centro da Cidade (nós achamos bem pertinho!). Já o segundo, Ibis Bucuresti Gara de Nord, está localizado ao lado da estação de trem. Mas sua qualidade é bem inferior que o primeiro. Bem mais básico que o conceito Ibis que estamos acostumados, mas com o preço muito bom na diária. Ficamos hospedados neste último hotel apenas por uma noite, quando já estávamos de retorno para Sófia, na Bulgária.

Principais atrações: ruas do Centro Histórico, Palácio do Parlamento, Heraustrau Park, Stavropoleos Monastério, Curtea Veche, Arco do Triunfo, Museu da Vila e Museu Militar.

Constanta (ou Constança), Romênia

Constanta ou Constança é uma cidade do litoral da Romênia, banhada pelo Mar Negro, e é um dos principais destinos dos romenos no verão. Localizada a 225 km de Bucareste, com acesso por uma excelente rodovia duplicada, a qual percorremos ao longo de duas horas e pouquinho. As praias de Constanta são diferente das que estamos acostumados: areia mais escura, cheia de conchinhas, mas a água bem clara e calma! A principal praia e a mais badalada chama-se Mamaia Beach, que é dividida por vários beach clubs. Mas não é só a praia que chama a atenção, o centro histórico é muito charmoso, e o Constanta Casino (que já não funciona mais) garante uma belíssima fotografia da cidade!

img_1192
Constanta Casino

Principal praia: Mamaia Beach.

Snagov, Romênia:

Snagov é uma cidade localizada a aproximadamente 45 km de Bucareste. Tem basicamente uma atração, o motivo da nossa visita. É nesta pequena cidade que está localizado o Monasteiro Snagov (Snagov Monastery), onde supostamente estão enterrados os ossos de Vlad Tepes, o Empalador, também conhecido como “Drácula”. O Monastério fica em uma pequena ilha, acessível por canoas ou uma pequena passarela de pedestres. Valeu muito a pena a visita (que não é nada demorada) e fica a caminho de Brasov, a cidade porta de entrada para a Transilvânia.

img_1284
Snagov Monastery

Brasov, Romênia (Transilvânia)

Brasov é a porta de entrada para a Transilvânia, e foi a primeira cidade que conhecemos dessa famosa região da Romênia, e foi onde estabelecemos a base da nossa viagem para as demais cidades. A cidade é uma graça e uma das que mais gostamos da viagem. É uma cidade grande, mas seu Centro Histórico faz parecer que você está naquelas cidades pequeninas!  Ainda tivemos a grande chance de participar da Oktoberfest Brasov, que acontece no mês de setembro, mas foi um evento incrível! Curtimos muito tanto o shows, quanto a cerveja e os petiscos. 🙂

Quantos dias ficar? A menos que você vá no inverno para curtir a estação de esqui, um dia inteiro é suficiente para conhecer a cidade.

Onde se hospedar? Ficamos hospedados no Hotel Brasov, localizado fora do centro histórico, mas perto o suficiente para irmos a pé. Destaque para a limpeza e espaço do quarto!

Principais atrações: Piata Sfatului, Old Town Hall, Igreja Negra (Black Church), Strada Sforri (ou rua da corda), Teleférico até Tampa e as Fortificações da cidade.

img_1566
Brasov vista de Tampa

Bran, Romênia (Transilvânia)

É um dos lugares mais procurados na Transilvânia, já que é onde está localizado o Castelo de Bran, ou mais como é mais conhecido “Castelo do Drácula”. Fica localizado a menos de 30 km de Brasov, e dá para conhecer no mesmo dia a Fortaleza de Rasnov, localizada na própria estrada que conduz ao Castelo. Mas só para adiantar: o Castelo não é do Drácula nem de Vlad Tepes. Acredita-se que o Castelo de Bran foi uma das inspirações de Bram Stocker para a história do Vampiro Drácula. No post específico da nossa visita, contaremos mais detalhes sobre Vlad Tepes e o personagem criado pelo escritor, que acabou sendo o motivo para que a região da Transilvânia ficasse tão conhecida.

img_1749
Castelo de Bran (ou Castelo do Drácula)

Rasnov, Romênia (Transilvânia)

O principal motivo de conhecermos Rasnov foi para visitar sua Fortaleza, que de longe já se avista da estrada. Algumas pessoas citam o local como Castelo, mas na verdade, trata-se de uma Fortaleza. O que chama muito a atenção é local aonde está localizada e a curiosidade tentando de como se chega lá. No post específico, contaremos todos os meios para se chegar lá. A Fortaleza de Rasnov foi construída no século XIII, e tinha como função proteger os camponeses que trabalhavam nas proximidades das invasões e saqueamentos inimigos (Tártaros e Turcos). O lugar é simplesmente incrível!

img_1942
Fortaleza de Rasnov

Codlea, Romênia (Transilvânia)

Na verdade, Codlea não estava em nosso roteiro. Mas como estava no caminho para a Transfagarasan, que também passa pela cidade de Fagarás, decidimos conhecer e visitar uma das Igrejas Fortificadas do País, e foi ótimo!!!! A Briserica Evanghelica Fortificata Codlea (Igreja Evangélica Fortificada de Codlea) foi construída no século XII e está bem preservada! Este tipo de Igreja tem mais de 200 na Romênia, sendo que sete delas foram declaradas como Patrimônio Mundial da Unesco.

img_2099
Briserica Evanghelica Fortificata Codlea

Fagarás, Romênia (Transilvânia)

A cidade de Fagarás está no caminho para a Transfagarasan e Sibiu. E querendo ou não, você estará de frente com uma Catedral incrivelmente impressionante: Catedrala Sfântul Ioan Botezătorul ou Catedral de Fagarás. A Catedral, por si só, já vale a visita! Mas nem é a Catedral o ponto forte da cidade, e sim a Fortaleza de Fagarás, considerada uma das mais fortes do país. No Século XII, uma Fortaleza de Madeira foi construída no local, mas infelizmente queimada pelos Tártaros em 1241 (ôh povinho, viu!!!!). Então, foi ampliada no século XV e XVI. E em 1948, tomada por Comunistas, tornou-se Prisão Política e posteriormente, com a queda do comunismo no país, tornou-se um museu. O lugar é tão diferente que até forca tem no pátio. Tenso!

img_2182
Fargaras Fortress (Fortaleza de Fagaras)

Transfagarasan (Transilvânia)

Sabe aqueles lugares que te fascinam desde o primeiro em que é visto? Foi assim com a Transfagarasan, considerada uma das estradas mais bonitas e incríveis do mundo. A estrada foi construída para ser uma rota estratégica militar. Mas na verdade, a gente acha que foi construída para te impressionar! Trata-se de uma estrada bastante sinuosa, que atinge mais de 2.000 metros de altitude em uma paisagem de tirar o fôlego!

Você pode ver a estrada da foto e pensar assim: o que tem demais? Inicie o caminho para chegar neste ponto que tiramos a foto e entenderá!

Sighisoara, Romênia (Transilvânia)

Sighisoara é uma das cidades medievais mais belas, conservadas e importantes do mundo, declarada como Patrimônio Mundial da Unesco! Trata-se de uma cidade fundada por Saxões em 1191, e é a terra natal do temido (ou amado?) Vlad Tepes, que deu origem ao personagem histórico Drácula, de Bram Stocker.

img_2919
Centro Histórico de Sighisoara

Onde ficar? Não nos hospedamos em Sighisoara. Como falamos anteriormente, tivemos como base a cidade de Brasov. Para ver opções de hospedagem, acesse AQUI.

Quanto tempo ficar? Um dia inteiro é suficiente para conhecer a cidade.

O que fazer? A Casa onde nasceu Vlad Tepes, Igreja na Colina, Clock Tower, a Piata Cetatil, a Igreja do Mosteiro Dominicano, Igreja on the Hill, Escada dos Estudiosos, Stag House, Venitian House, e suas torres.

Sibiu, Romênia (Transilvânia)

Sibiu, fundada por colonos alemães no século XII, motivo pelo qual a arquitetura local é tipicamente germânica. É uma cidade bem parecida com o estilo da cidade de Brasov, maior, cheia de restaurantes, e um clima incrível! Conseguimos andar o dia todo pela cidade e conhecer muita coisa interessante! Na verdade, andamos muito para tentar achar os olhos mais reais e interessantes da cidade. Sim! Sibiu tem olhos nos telhados das casas. Obrigatoriamente estará em seu roteiro, entre as três mais importantes e turísticas da Transilvânia: Brasov, Sighisoara e Sibiu.

img_3031
A Ponte dos Mentirosos e muitos olhos observadores

Onde se hospedar? Também não nos hospedamos em Sibiu. Para ver opções de hospedagem, clique AQUI.

Quanto tempo ficar? Um dia inteiro dá para conhecer bem a cidade é suficiente. Mas se quiser pernoitar e aproveitar mais um dia, pode valer bem a pena!

O que fazer? Andar pelas ruas do centro histórico, as duas praças “Piata Mica” e “Piata Mare”, a Ponte dos Mentirosos, as igrejas, as torres, a escadaria antiga que liga a parte alta e a parte baixa da cidade, e a muralha medieval da cidade.

O que poderia ter feito de diferente? Se tivéssemos nos hospedado em Sibiu, e de lá teríamos visitado o Castelo de Corvin, Alba lulia e Turda, onde fica a mina de sal.

Zarnesti, Romênia (Transilvânia)

Zarnesti está localizada bem próximo de Rasnov e Bran. E nosso objetivo era visitar estes três lugares em um mesmo dia. Mas infelizmente, não chegamos a tempo do último tour guiado que acontece às 11h. E então, ficou quase que fora do nosso roteiro voltar a Zarnesti para visitar o Libearty Bear Sanctuary Zarnesti, nosso principal objetivo. Só que no dia que estávamos voltando para Bucareste, e antes passaríamos no Castelo de Peles, pensamos: “dá para apertar o pé (com segurança) e esticar até o Santuário dos Ursos”. Mas isso faltava 40 minutos para o início do tour, e estávamos na estrada entre Brasov e Sinaia, que era um pouco fora de mão. Pegamos um desvio, passamos por paisagens maravilhosas das Montanhas Bocegi, mas com a pressa para chegar ao destino, mal deu para curtir o caminho. Chegamos faltando exatos 2 minutos para o início do tour, e valeu muito a pena!

Trata-se de um Santuário de Ursos resgatados de zoológicos, circos e até castelos, bem diferente do conceito de zoológico. No começo, estávamos curiosos com o que seria efetivamente o lugar. Mas é um lugar enorme, onde os ursos vivem soltos (claro que tem a proteção para se manterem no espaço) e lá são cuidados e tratados pela ambientalista que fundou o local. Contaremos melhor no post sobre o Santuário a história, como funciona, etc. 🙂

Sinaia, Romênia 

Sinaia tem castelo, tem teleférico e uma cidade fofa! Mas nosso objetivo era de conhecer o Castelo considerado um dos mais bonitos da Europa: o Castelo de Peles. Que castelo!!!! E não é só por fora, seu interior é belíssimo, suntuoso e interessante! Contaremos todos os detalhes oportunamente, e marcaremos AQUI.

img_3344
Castelo de Peles

Volta para Bucareste e depois Sófia, na Bulgária

E foi o Castelo de Peles nosso último destino turístico da viagem. De lá, nos dirigimos para Bucareste para pernoitar, já que ficaria muito longe para chegar até Sófia, na Bulgária, de onde partiria nosso voo de volta para o Brasil.

Esperamos que tenham gostado do nosso roteiro, e gostaríamos de agradecer aos amigos do blog Andarilhos do Mundo, que ajudaram muito nas dicas para nossa viagem, ao Blog 360 Meridianos, por muitas dicas e curiosidades, e pela Fabi, do Loucos por Viagens, e que publicou uma sugestão de roteiro bem bacana no blog.

Agradecemos também nosso parceiro Easysim4u que forneceu dois chips para que ficássemos conectados durante a viagem, e postasse tudo para nossos seguidores das redes sociais. Mesmo que a internet da Romênia não tenha sido tão boa, observamos que era um problema comum no país, que tinha a conexão bem inferior que a da Bulgária. Em breve colocaremos mais detalhes e atualizaremos aqui.

Fabiane Teixeira

Brasileira, Mineira de Belo Horizonte, 35 anos, conhece 38 países, é Advogada e Professora de Direito Civil, e nas horas vagas Viajante e Blogueira. Junto com meu Fábio vamos conhecer e te apresentar o mundo!

24 thoughts on “Roteiro de Road Trip pela Bulgária e Romênia

  • 27 de julho de 2020 em 09:25
    Permalink

    Ótimas dicas. O Blog como um tudo é muito bom, mas particularmente achei ótimas as dicas da road trip pela Romênia e Bulgária. Há muitos blogs de viagem na internet, mas poucos com a clareza e objetividade de vocês.

    Resposta
    • 11 de agosto de 2020 em 20:50
      Permalink

      Alberto,
      depois de afastados daqui, desanimada com tudo relacionado a viagem devida a pandemia e suas consequências, decido vir aqui e leio de cara o seu comentário.
      Poxa, que gratidão! Comentários assim dá um animo para gente voltar a compartilhar as dicas!!
      Obrigada mesmo por este comentário.
      Abraço,
      Fabiane

      Resposta
  • 11 de maio de 2019 em 22:01
    Permalink

    Olá Fabiane! Tudo bem?
    Estou me planejando para viajar para a Romênia (Bucareste e transilvânia).
    Estou considerando alugar um carro em Bucareste para rodar as principais cidades da transilvânia, mas estou com receio pois li muitos comentários como o seu falando da má qualidade das estradas.
    Mesmo assim, você recomendaria alugar um carro ou fazer o roteiro por trem/onibus? O que pode ser mais proveitoso?
    É necessário ter a PID? Ou apenas a CNH brasileira é suficiente?

    Desde já agradeço pelas informações do seu blog!!

    Abraços1

    Resposta
    • 14 de maio de 2019 em 09:01
      Permalink

      Oi, Karina!
      Tudo bem?
      Mesmo com as estradas ruins, eu faria de carro. De carro, você tem mais possibilidade de parar ou adequar seu roteiro.
      A Romênia possui inúmeros castelos, fortalezas, etc… dirigindo pelas estradas, quando se vê um destes (mesmo que não esteja em seu roteiro), você pode parar se quiser.
      A estrada é ruim mas nada que a gente não tenha visto aqui no Brasil. Ou nada que impeça a viagem.
      Eu faria de carro.
      Levamos a carteira brasileira e a PID. Sempre. Pois tem agência que pede, confere, etc., enquanto outras não.
      Você vai amar a viagem!
      Eu voltei apaixonada!
      Bjs,

      Resposta
      • 2 de julho de 2019 em 12:52
        Permalink

        Oi Fabiane!

        Desculpe a demora em responder.
        Muito obrigada pela sua dica e atenção!
        Ansiosa pela viagem!

        Bjs!

        Resposta
  • 27 de junho de 2018 em 22:40
    Permalink

    Casal . Parabéns. Vou fazer está viagem

    Resposta
    • 10 de julho de 2018 em 23:16
      Permalink

      Você vai amar, Bernardo!
      Sem falar que o preço é bem mais em conta que outros lugares da Europa.

      Resposta
  • 16 de janeiro de 2018 em 13:07
    Permalink

    Oi, Fabiane! Adorei seu roteiro. Eu só tenho 13 dias para viajar. Voce sugeriria o que para eu “tirar”? E esse valor de 10mil vc diria para o casal?

    Resposta
    • 28 de janeiro de 2018 em 18:58
      Permalink

      Quanto ao valor, eu expliquei no comentário. Ainda não tinha visto este.
      Eu faria Sofia, com bate volta em Rila, depois faria Bucareste, Brasov, sendo que de Brasov, faria bate-volta a Sibiu e Sighisoara.
      🙂

      Resposta
  • 15 de maio de 2017 em 22:49
    Permalink

    Boa noite, vou para a Romenia em agosto e já olhei várias coisas legais no roteiro de vocês! Obrigada por compartilharem. Alugarei um carro mas li alguns posts que me assustaram um pouco! As estradas são boas? Tem pedágio? Estacionar na rua é perigoso? Tiveram algum receio de parar com o carro e bagagens dentro quando iam de uma cidade para outra? Não sei se pego um gps ou compro um chip de dados e uso o Google maps (li q a experiência de vocês não foi legal com o chip q tinham!)? Se puderem ajudar com essas questões eu agradeço!
    E mais uma vez, parabéns pelo blog!

    Resposta
    • 16 de maio de 2017 em 14:14
      Permalink

      Flavia, tudo bem?
      Que bom que o blog ajuda de alguma forma. Estamos com muitos posts pendentes da viagem, porque fizemos várias viagens seguidas com trabalhos para o site. Então ficamos com muito serviço acumulado! Mas vamos nos esforçar (e estamos nos esforçando), para as matérias de cada cidade saírem antes da sua viagem.
      Vamos lá então responder suas perguntas!
      – Estradas: Bulgária tivemos estradas boas, mas na Romênia não;
      – Pedágios: o único “pedágio” que pagamos foi para cruzar a fronteira entre Bulgária e Romênia. Fora isso nada… até por isso justifica o motivo das estradas péssimas! Mas na Bulgária dirigimos apenas no trecho de Sofia a Bucareste.
      – Estacionar na rua só é perigoso se você deixar pertences no interior do veículo. Sempre perguntamos no hotel onde pode estacionar (em frente ao hotel, caso não tenha estacionamento). E se tem estacionamento pago, a gente prefere pagar e evitar transtornos. Romênia tem uma fama de pais “perigoso”. Mas não vimos NADA de estranho ou tivemos qualquer problema durante nossa viagem. Nunca deixamos bagagens dentro de veículo! Sempre levamos para o hotel! E é a nossa recomendação. E se deixamos, paramos em estacionamento pago. Outra dica é colocar tudo no porta mala!
      – Eu alugaria um GPS. Passamos muito perrengue com o Google maps lá. Não é que o chip é ruim. A internet no país é ruim!
      Qualquer dúvida, estamos às ordens!
      Beijos,
      Fabi

      Resposta
      • 18 de maio de 2017 em 17:57
        Permalink

        Boa noite,
        Muito obrigada mesmo pela ajuda! Agora outra perguntinha: estradas não taõ boas na Romenia significa alugar um SUV ou carro médio é OK? É que vou sozinha e preciso me precaver…
        Obrigada

        Resposta
        • 18 de maio de 2017 em 19:44
          Permalink

          Não, Flávia!
          É uma estrada ruim, o pior trecho foi de Sofia até Bucareste. As demais é aquele asfalto ruim. Nada que justifique o aluguel de um SUV, etc. Nós mesmos alugamos um carro pequeno e sobrevivemos! 🙂

          Resposta
          • 19 de maio de 2017 em 09:08
            Permalink

            Obrigada! Me deixou um pouco mais tranquila! Boias viagens para vocês… continuarei acompanhando o blog!

            Resposta
            • 19 de maio de 2017 em 13:53
              Permalink

              Que bom, Flávia! É nosso objetivo ajudar a todos e deixar nossos seguidores mais tranquilos!
              Precisando, estamos às ordens!
              Abs,
              Fabi

              Resposta
  • 29 de abril de 2017 em 10:01
    Permalink

    Regina, bom dia!
    Somos um casal na faixa dos setenta anos e viajamos muito sozinhos. É possível comprar as moedas aqui em BH? O voo é direto? Foram 15 dias de viagem, qual o custo total da terrestre? Somos de poucas compras, restaurantes simples, hotéis confortáveis sem muito luxo, priorizamos nossos gastos com passeios e museus.

    Resposta
    • 3 de maio de 2017 em 20:55
      Permalink

      Olá, Heliane!
      Infelizmente não vou conseguir te ajudar tanto com suas perguntas.
      – Você pode ligar na casa de câmbio que tem costume de trocar moedas, e verificar se tem as moedas dos dois países.
      – Infelizmente não existem voos diretos a partir de BH. Fomos para SP, e de lá pegamos um voo via Roma.
      – Quanto a questão do custo total, os dois países são bem em conta. Acredito que vocês consigam fazer uma viagem destas com uns R$ 10.000,00.

      Resposta
  • 28 de janeiro de 2017 em 12:34
    Permalink

    Muito legal o post. Estou planejando um roteiro semelhante. Você sabe se dá pra fazer o litoral depois de conhecer a região de Sibiu, e, de lá, retornar a Bulgária margeando o Mar negro, e aí passar por Pluvdiv, antes do retorno a Sofia?

    Resposta
    • 28 de janeiro de 2017 em 18:01
      Permalink

      Quando estávamos em Constanta, vimos que tem uma estrada que desce até a Bulgária margeando o litoral ou próximo. Mas como não passamos por ela, só vimos a indicação na estrada, não sei precisar se dá certo. Teria que pesquisar mais a fundo…
      Tente colocar algumas cidades próximas ao Mar Morto e faça uma simulação pelo Google.
      🙂

      Resposta
  • 17 de setembro de 2016 em 18:50
    Permalink

    Gostaria de saber se têm conhecimento de que estas estas excursões montadas, que saem do Brasil valem a pena. É que tenho interesse nos 2 paises, mas vou viajar sozinha e não quero alugar carro. Qual a media de gasto por dia?

    Resposta
    • 18 de setembro de 2016 em 15:29
      Permalink

      Regina,
      tudo bem?
      Conheci um casal de senhores que fez esta viagem mas com uma agência do Brasil, que não sei dizer qual o nome. Ele questionou apenas a questão de ficar “preso” ao grupo. Que às vezes não queria fazer determinado passeio, ou queria voltar antes, etc., e com grupo tudo acaba diferente.
      Quanto aos gastos diários, depende muito de como é a forma que você viaja. Para nós dois, na faixa de 100/150 euros por dia.

      Resposta
      • 16 de janeiro de 2018 em 13:09
        Permalink

        Olá, Fabiane! Esse valor que vc está apontando por dia, inclui hotel, passagem aérea? Seria por casal?

        Resposta
        • 28 de janeiro de 2018 em 18:39
          Permalink

          Oi, Cláudia! Eu não gosto de falar valores não… mas seria para o casal este valor que citei nos comentários. E estes valores sempre alteram muito! Penso você pegando um valor baixo de passagem área, com hotéis econômicos dê sim!
          Abs,

          Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »