Circuito RPPN no Santuário do Caraça, em Minas Gerais

“Só o Santuário do Caraça vale toda a viagem a Minas Gerais!”

Acredite: Essa frase atribuída a Dom Pedro II está afixada nos corredores do Santuário do Caraça! Mesmo morando na cidade de Belo Horizonte há cerca de 30 anos, somente por estes dias é que tive a oportunidade única de visitar e conhecer um pouco do Santuário do Caraça.

PASMEM!! A primeira notícia que envolve o Caraça é datado de 1708, quando aparece em um mapa da Província de Minas. Em 1716, num registro histórico, aparece o “Arraial do Inficionado do Caraça”. E mais: Vestígios na região do “Tanque Grande” e dos “Pinheiros” apontam para a existência de antigos garimpos, provavelmente do século XVIII.

O Santuário do Caraça é uma Unidade de Conservação de âmbito federal desde 1994, possui cerca 11.233 hectares de área total, sendo 10.187,89 hectares como área de preservação, com o intuito de preservar esse belíssimo patrimônio natural e contribuir para a melhoria da qualidade de vida do mundo para as gerações presentes e futuras.

E a oportunidade de conhecer o mínimo que seja deste paraíso não poderia ser de maneira mais agradável: através de mais um Hiking promovido pelos nossos amigos da Ecopix – Hiking e Trekking, num dia inteiro de visita ao espetacular e lindo Santuário do Caraça.

Vale destacar um detalhe importante: a caminhada foi a primeira das diversas “Trilhas Sociais” que serão promovidas pela equipe ECOPIX, que destinará uma pequena do dinheiro arrecadado com o Hiking para doação e ajuda à instituições que diariamente contribuem para um mundo melhor!

Especificamente para o hiking deste post, a instituição escolhida foi a Assaumex – Associação dos Amigos e Usuários de Medicamentos Excepcionais

Excelente iniciativa!

COMO CHEGAR:

Como de costume, a atividade teve início com chamada às 6hs no Terminal JK, no centro de Belo Horizonte, e embarque sem atrasos às 06:30hs.

O trajeto é muito fácil e sem erros: basta pegar a BR 381 sentido Vitória-ES até o trevo para Barão de Cocais – Santa Bárbara – Caraça. Logo após, siga pela MG 436 via Barão de Cocais, sem esquecer que antes da cidade de Santa Bárbara, basta virar à direita para o Caraça. Como já é rotina neste tipo de hiking, parada obrigatória para um café reforçado no restaurante “Amigão”, localizado cerca de 80 Km de BH.

Para acessar o Santuário do Caraça, é necessário o pagamento de uma taxa de R$ 10,00 pelos visitantes nos dias de semana e R$ 15,00 nos finais de semana e feriados, com preços diferenciados para moradores da região, ciclistas e idosos. Para saber a tabela completa de preços, bem como normas específicas de visitação, mapas de acesso, trilhas e guias credenciados, clique AQUI.

Mapa do Circuito RPN, no Santuário do Caraça
Mapa do Circuito RPN, no Santuário do Caraça (Foto: Roger Pixixo – Ecopix)

Sedentos por novas aventuras, finalmente chegamos ao núcleo histórico do Santuário do Caraça, nosso ponto de apoio para início do Hiking, e que é composto por um centro de informações turísticas, uma cafeteria, loja de souvenirs, a belíssima e primeira Igreja neogótica do Brasil, que liga as duas alas laterais do antigo prédio de dois andares, em estilo barroco, as ruínas do antigo Colégio e da Escola Apostólica ou Seminário, além de diversas construções como a Casa Santa Helena, Casa das Sampaias e demais dependências de serviços oferecidos no local. Somente essa parte do passeio já vale o dia!!

Diz a lenda que a Igreja, localizada no meio da reserva natural de 11 mil hectares, é procurada todas as noites por lobos-guarás, que são alimentados pelas mãos dos padres. Mais um motivo para uma visita ao Santuário!

A programação do Hiking, além dos principais pontos turísticos, contemplou uma caminhada de aproximadamente 16 km, sendo que apesar da avaliação do nível de dificuldade ser muito subjetivo, pois depende do preparo físico e experiência de cada participante, é considerado fácil tanto para Hikers experientes quanto iniciantes.

Abaixo compartilhamos as principais recomendações para os praticantes do Hiking, sempre divulgados pela excepcional equipe da ECOPIX:

O QUE LEVAR:

PARA CAMINHAR:
– Uma camiseta de secagem rápida do tipo Dry-Fit própria para a prática de caminhada,
– Uma calça de poliamida, tactel ou semelhante, que são
transpiráveis;
– Roupa de banho;
– Tênis ou Bota amaciada e próprios para a prática de caminhada, sobretudo em terremos acidentados;
– Óculos escuros;
– Chapéu ou Boné;
– Mochila;
– Um par de bastões de caminhada – equilíbrio, estabilidade, reduz impacto nas articulações e o sobrepeso dos membros inferiores – uma unidade já ajuda (opcional).

CONSIDERAÇÕES:
1) Evite qualquer roupa de ALGODÃO para a caminhada. O algodão retém muita água e demora em secar.
2) Não é aconselhável caminhar de bermuda, pois a vegetação pode machucar as canelas.

ALIMENTAÇÃO (SUGESTÕES PARA LANCHES DE TRILHA):
– Água: recipientes suficientes para 1,5L à 2L;
– Sanduíche natural;
– Bisnaguinha;
– Bolo;
– Frutas;
– Castanhas e frutas desidratadas;
– Bolacha/biscoito/wafer;
– Barra de Cereal;
– Rapadura/torrone;
– Isotônico ou carboidrato em gel.

OUTROS:
– Máquina fotográfica – indispensável;
– Pilhas sobressalentes;
– Capa de chuva;
– Protetor solar corporal e labial;
– Kit pessoal primeiros socorros;
– Material de higiene pessoal;
– Sacolinhas plásticas sobressalentes para trazer o lixo.

Aproveitamos para compartilhar a relação de trilhas do Santuário do Caraça, cerca de 40 atrativos, divididos em 2 grupos: obrigatoriedade e sem necessidade de guia. Acesse AQUI.

Circuito RPN do Santuário do Caraça
Nosso Guia Roger Pixixo durante o Circuito RPPN do Santuário do Caraça

A caminhada pelo Santuário do Caraça não é apenas um Hiking: trata-se de um verdadeiro passeio por um belíssimo lugar repleto de história e muita natureza, com uma aura de sossego e paz incríveis, com mirantes, cachoeiras e lindas paisagens, ideal para esquecer a loucura e o stress do dia a dia.

Circuito RPN no Santuário do Caraça, Minas Gerais
Circuito RPN no Santuário do Caraça, Minas Gerais

Apenas 2 Km após o início do Hiking, primeiro “pit stop” obrigatório: A Cascatinha, formada por 4 quedas d’água e 4 piscinas naturais, com seus 40 metros e suas águas que nascem acima das quedas, de onde vêm saltando pela encosta.

Momentos de puro deleite, para apreciar suas águas, puras e espumantes, que possuem coloração amarelada e que aumenta de intensidade no tempo das chuvas, em razão das matérias orgânicas que descem da Serra.

Maravilha!

Cascatinha, no Santuário do Caraça, em Minas Gerais
Cascatinha, no Santuário do Caraça, em Minas Gerais

Após a primeira parada, continuamos sempre em direção à garganta do Gigante, que está de perfil e deitado na Serra do Espinhaço, bem ao meu lado na foto, passando também pela Pedra da Paciência, um belíssimo afloramento rochoso, e descendo até sua base, sempre seguindo as setas indicativas, pintadas na rocha, até finalmente chegarmos até a Bocaina.

Conta-se que foi este formato na Serra do Espinhaço que deu nome ao local.

"Caraça" visto da Pedra da Paciência, no Santuário do Caraça
“Caraça” visto da Pedra da Paciência, no Santuário do Caraça

Próxima parada: Bocaina, que encontra-se entre o “Pico do Inficionado” e a “Caraça”.

Trata-se de um desfiladeiro enorme e que propriamente dá o nome de Caraça ao santuário. Em tupi-guarani, caraça é desfiladeiro ou, como hoje dizemos, bocaina, uma grande depressão no meio de uma serra.

Momentos para refrescar nas suas límpidas águas, tirar muitas fotos, e, claro, para apreciar e gravar na memória para sempre!

Durante o Hiking, mantenha sempre o nariz, olhos e ouvidos atentos, pois o Caraça possui mais de 1.400 espécies de plantas, como carqueja, alecrim, erva-cidreira, angico, cedro, peroba, canela e jacarandá, além de 205 tipos de orquídeas e mais de 132 variedades de abelhas.

Quer mais? De aves, são cerca de 339 espécies, sendo 71 endêmicas da Mata Atlântica, quatro do Cerrado e quatro dos topos de montanha do Sudeste do Brasil.

Bocaina, no Santuário do Caraça, em Minas Gerais
Bocaina, no Santuário do Caraça, em Minas Gerais

Outro ponto de destaque do Hiking: Prainha, em que o Ribeirão Caraça passa tranquilamente, com suas margens com finíssima areia, plano e inclusive muito apropriado para crianças, pois as águas são rasas e tranquilas. Após um dia de intensa caminhada, ideal para alguns minutos de descanso e calmaria.

Prainha no Santuário do Caraça, Minas Gerais
Prainha no Santuário do Caraça, Minas Gerais

Já próximo ao Santuário, na parte final do Hiking, parada no “Tanque Grande“, que possui este nome por existir um outro menor, o de São Luís, que é um dos pontos mais procurados pelos turistas. É um lago tranquilo, rodeado de lindos bosques, e sua água é sempre da cor do céu, lugar ideal para agradecermos aos Deuses pelo excepcional dia e a oportunidade de caminhar por lugares tão belos.

Tanque Grande, no Santuário do Caraça, Minas Gerais
Tanque Grande, no Santuário do Caraça, Minas Gerais

Após cerca de 8 horas de caminhada, retornamos ao Núcleo Histórico do Santuário, onde aproveitamos o tempo restante para uma verdadeira aula de história e informações imprescindíveis aos visitantes, como sua fundação pelo lendário português Irmão Lourenço de Nossa Senhora, ou a inauguração do Colégio Do Caraça pelos padres em 1820, ou ainda o fato que mudou a história do lugar: após 148 anos dedicados à educação e à formação, no dia 28 de maio de 1968, um incêndio atingiu várias dependências da casa, colocando fim às atividades do célebre colégio.

Chegada no Santuário do Caraça, em Minas Gerais
Chegada no Santuário do Caraça, em Minas Gerais

Aos que desejam passar um final de semana no Santuário, algumas informações relevantes: a estrutura oferece uma sala de TV, jogos, internet e “Cantinho da Criança”, tudo disponível para o nosso entretenimento.

O Santuário também possui uma cantina que funciona no horário de 8h às 17h, uma lojinha ao lado da lanchonete (preços acessíveis), e lembrando que a diária é de 14h até às 12 h do dia seguinte e o pacote inclui dois almoços, um jantar e um café da manhã.

Para mais informações e reservas, clique AQUI.

Santuário do Caraça, em Minas Gerais
Santuário do Caraça, em Minas Gerais

Curiosidade sobre o nome “Caraça”. São duas “teorias” mais aceitas, de acordo com o próprio site do Santuário:

1. Caraça seria o formato de um rosto humano na Serra do Espinhaço: é explicação corrente no tempo do Colégio e comentada por Dom Pedro II, em seu diário (11-13 de abril de 1881). O que pesa contra esta explicação é o fato do Caraça ter sido sempre citado no masculino e nunca no feminino (Serra da Caraça), como deveria ser já que caraça, compreendido como cara grande é palavra feminina.

2. Caraça seria o grande desfiladeiro existente na Serra do Espinhaço nesta região: explicação dada por Auguste de Saint-Hilaire (1816) e acolhida por José Ferreira Carrato, em sua tese de doutorado sobre o Caraça (As Minas Gerais e os Primórdios do Caraça), publicada em 1963. Caraça, em tupi-guarani, significa desfiladeiro ou bocaina, como hoje é chamado o portentoso vale entre os Picos do Sol e do Inficionado.

Belezas do Santuário do Caraça, em Minas Gerais
Belezas do Santuário do Caraça, em Minas Gerais

O santuário possui 3 museus, também indispensáveis para os visitantes, todos montados a partir das peças de mobiliário e artefatos diversos pertencentes ao próprio Caraça, alguns remanescentes de séculos passados, com visitas guiadas, ou se preferir, uma viagem ao passado por conta própria.

Santuário do Caraça, Minas Gerais
Santuário do Caraça, Minas Gerais

Para encerrar as atividades do dia, uma rápida visita à Igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens, onde ocorre uma missa todos os dias, construído sem mão de obra escrava e todo com material regional: pedra-sabão retirada de perto da Cascatona, mármore das proximidades de Mariana e Itabirito e quartzito da Gruta do Centenário.

Santuário Nossa Senhora dos Homens, no Santuário do Caraça
Santuário Nossa Senhora dos Homens, no Santuário do Caraça

Após um delicioso café na lanchonete do Santuário, hora de voltar para casa, com direito a parada obrigatória mais uma vez no restaurante AMIGÃO para a degustação de caldos e o inconfundível angú a baiana, e retorno ao terminal JK, com a certeza do dever cumprido e do retorno garantido para os próximos meses.

Até a próxima!!

Veja outros Hikings em Minas Gerais:

Fábio Almeida

Major, 43 anos, conhece 38 países, viajante inveterado, cinéfilo, apreciador de vinhos e cervejas especiais, fotógrafo amador, viciado em natação, corrida e quadrinhos! Força na Luta! Sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Content is protected !!