Transfagarasan Road: uma das estradas mais impressionantes do mundo

 

Já pensou em conhecer a Transfagarasan Road, uma das estradas mais impressionantes do mundo?

 

Quem nos acompanha desde o começo do Blog, sabe que amamos pegar uma estrada. Principalmente quando ela é daquelas estradas de cair o queixo! Já passamos por muitas deste tipo como: a Hwy 1, na California; a Garden Route, na África do Sul; a Niagara-on-the-Lake, no Canadá; também tinha estradas belíssimas entre Salzburgo e Hallstatt, na Áustria, no interior da Inglaterra, Bélgica e Holanda. Mas a Transfagarasan nos hipnotizou de uma tal maneira, a começar pela vontade de conseguir falar corretamente o seu nome.

Onde está localizada a Transfagarasan:

Antes de contar sobre a grandiosidade da construção desta estrada, é importante saber sobre sua localização. A Transfagarasan (7C) está localizada na Romênia, sendo que começa na região de Arges e segue, em quase 92Km, até Sibiu.

No mapa baixo, via satélite, dá para ver nitidamente as montanhas que a Transfagarasan corta, e todo o seu contorno sinuoso que faz com seja uma obra incrível, ou seria uma verdadeira “loucura de Ceaușescu? 

História da Transfagarasan (Transfăgărășan)

A Transfagarasan foi construída no início da década de 1970 até meados de 1974, com o objetivo de ser uma rota militar estratégica, para unir as duas regiões do país: a Transilvânia com a Valáquia. Naquela época, a Romênia era governada pelo comunista Nicolae Ceausescu que, temendo a invasão da então Checoslováquia, queria garantir um acesso militar mais rápido entre as montanhas.

E o mais interessante é que se trata de uma estrada pavimentada que sobe uma altitude de 2.042 metros, cheia de curvas e cortando os Cárpatos, em meio aos picos Moldoveanu e Negoiu, das Montanhas Fagarás. Como a estrada foi construída para ser rota de veículos de guerra (motivo pelo qual é pavimentada), ela é bastante sinuosa, tornando a subida mais branda.

Para a construção da Transfagarasan foram utilizados, na grande maioria, militares, que sem experiência, acabaram morrendo durante a obra 🙁

Mas mesmo com o passar dos anos e com a queda do Comunismo no país, a Transfagarasan ainda continua sendo utilizada como rota, mas acabou se tornando um dos principais destinos para viajantes e aventureiros que pretendem cruzá-la seja através de caminhada, de bicicleta, motos, teleférico, ou como nós dois fizemos, de carro!

Quando visitar a Transfagarasan

Infelizmente a rota não fica aberta durante todos os meses do ano, ao contrário, ela permanece fechada por oito meses, do final de outubro ao final de junho (inverno e primavera), em um trecho de aproximadamente 27km, diante da quantidade de neve, deslizamento de rochas, avalanches, etc., ou seja, por questões de segurança.

Então, se quiser fazer o trajeto caminhando, de bicicleta, moto ou carro, como nós fizemos, você deve ir do final de junho ao final de outubro.

Para ver a data correta do fechamento da Transfagarasan, clique AQUI.

Conhecendo a Transfagarasan

Visitamos a Transfagarasan durante o mês de setembro, ou seja, final de inverno começo de outono. As temperaturas estavam bem amenas, mas mesmo assim, eu já sabia que era obrigatório levar um casaco para a Transfagarasan. No ponto mais alto da rota, que é em Balea Lac, a temperatura cai muito, e mesmo com casaco, eu senti bastante frio.

Então, a primeira coisa que você deve se preparar é: para não sentir frio, leve o agasalho!

Apesar de ser possível fazer toda a rota durante um dia, pois sua extensão é de aproximadamente 90Km, nós optamos por fazer somente a metade do trecho, até por que nem tínhamos muito tempo para fazer toda a rota (claro que a gente não ia ter mesmo! A Romênia possui muitos Castelos, Fortalezas, Igrejas Fortificadas… a cada esquina parávamos para tirar fotos das belíssimas paisagens e construções que avistávamos pelo caminho).

Nosso trajeto foi a partir do cruzamento entre a DN1 e Sibiu (que é considerado o final da rota, mas que a gente acreditava que era o começo), de onde seguimos até Balea Lac, o ponto que proporciona uma vista incrível da estrada e sua sinuosidade. Abaixo, a foto do começo do nosso passeio pela Transfagarasan:

Início da Transfagarasan, na Romênia
Início da Transfagarasan, na Romênia

Como dá para ver da foto acima, o viajante que começa a rota não tem muita noção de sua grandiosidade. No ponto da foto, e com a nebulosidade, não conseguíamos entender como a Transfagarasan poderia cortar as montanhas e fazer aquela forma que vimos nas fotos. Tentava enxergar e nada! Com uns 10 minutos de trecho, começamos a ver somente árvores e muitos pinheiros!

Para terem um pouco da ideia do quanto a Transfagarasan sobe pelas montanhas, observe as fotos acima e veja que começamos bem aos pés das montanhas, e na foto à direita, já tínhamos subido bastante, mas ainda não tínhamos chegado nem na Balea Cascada.

Ao longo da estrada tem alguns poucos pontos para observatório (lembre-se que ela foi construída para ser uma rota militar), e algumas mesas para piquenique. Na verdade, vimos estas mesas em vários pontos da Romênia.

Balea Cascada:

Foi o primeiro ponto que paramos, e até então, eu não entendia aonde poderia ter a paisagem daquelas fotos que via na internet. Confesso que achei que poderia estar na rota errada, já que a internet (e consequentemente o GPS) pegava muito mal durante o trajeto (para dizer que não pegou).

Pela Transfagarasan quase chegando em Balea Cascada
Pela Transfagarasan quase chegando em Balea Cascada

Estacionamos nosso carro logo que vimos o estacionamento, e tentamos ver a possibilidade de andar no teleférico (telecabine) que vai de Balea Cascada até Balea Lac, em torno de 3.700m. Gente, sério! É um trecho muito alto e longo! E como não tinha a quantidade de pessoas necessária para fazermos o passeio naquele momento, e a gente não podia esperar por mais visitantes (e eu também não queria!), acabamos não fazendo.

Teleférico na Transfagarasan, na Romênia
Teleférico na Transfagarasan, na Romênia

Ocorre que em maio deste ano (2017) teve um acidente com os dois teleféricos que acabou machucando alguns turistas, e desde então, não tenho certeza da data exata, mas os teleféricos estão fechados.

Olhando na foto acima, vocês devem pensar que nem parece tão alto, mas do ponto alto da Transfagarasan, na Balea Lac, vocês vão entender a extensão deste teleférico.

A partir dali, você pode fazer uma curta caminhada até a Balea Cascada, uma cachoeira que dá para ver ao fundo da foto acima. Preferimos não ir até lá, por que já estava ficando tarde, e não teríamos muito tempo para chegar até o topo.

Depois de não conseguir fazer o passeio no teleférico, continuamos nosso trajeto, e o clima foi ficando péssimo. Eu não conseguia acreditar que o tempo estava tão ruim, que tinha tanta neblina, e que eu não ia conseguir ver a estrada como tinha visto tantas fotos na internet. Estava arrasada!

Observe na foto abaixo, à esquerda, dá para ver a altura que já tínhamos subido, pois lá em baixo, aonde tem umas casinhas, é ponto do teleférico da foto acima! Lembrando que a gente já tinha subido muito antes de chegar na Balea Cascada.

Depois da foto acima, à direita, eu já não tinha mais qualquer esperança de que veria algo, o “tal do trecho da foto” não chegava e já considerava nosso dia como “perdido”, pois não teria mais nenhum dia disponível para voltar ali.

E como um passe de mágica, depois daquela neblina forte (que tivemos que redobrar o cuidado), a visibilidade retornou, e ficamos diante do começo da estrada sinuosa que via nas fotos. Lembrando que a Transfagarasan não é somente este trecho, ela tem quase 92 km, mas este era o trecho mais cênico e incrível que queria visualizar.

Lembra o teleférico que vimos lá em Balea Cascada? Olhe ele aí na foto! É ou não é alto?

Vista da Transfagarasan, na Romênia
Vista da Transfagarasan, na Romênia

Neste trecho da Transfagarasan, existem alguns pontos de parada e observação. Na verdade, alguns deles são feitos pelos próprios turistas que estacionam fora da pista para tentar tirar a melhor foto!

A vista é realmente impressionante!

Selfie na Transfagarasan, na Romênia
Selfie na Transfagarasan, na Romênia

Optamos por deixar o carro no estacionamento do Balea Lac (pagamos em torno de 5 Reais), e caminhamos um pouco pelo entorno ao lago. É lá que existe, durante o inverno, o Hotel de Gelo, mas que também funciona (sem ser de gelo) em outras temporadas do ano, veja AQUI. Não ficamos lá, mas acho que vale a pena pensar na possibilidade! Veja mais sobre o Cabana Balea Lac clicando AQUI.

Estacionamento do Balea Lac, na Transfagarasan
Estacionamento do Balea Lac, na Transfagarasan

O Balea Lac um lago glaciar belíssimo!! Estonteante! Nem dá para acreditar na altitude em que este lago foi formado. Mas como falamos acima, é possível apenas visitá-lo em algumas épocas do ano pelo risco de acidente com avalanches, deslizamento, etc. Então, para chegar lá durante o inverno, somente através do Teleférico, que está temporariamente fechado (pelo menos na data deste post, novembro/17). É bom checar a informação  antes de viajar (cabana_balealac@yahoo.com).

Balea Lac, na Transfagarasan
Balea Lac, na Transfagarasan (e ao fundo o Chalé Balea)

Então, a nossa visita à Transfagarasan foi entre Sibiu até Balea Lac. Mas você pode continuar a rota e visitar outras partes consideradas muito bonitas também, como a barragem, que por sinal, é altíssima. Você só vai precisar de um pouco mais de tempo!

Gosta de road trip? Veja nosso post sobre a Hwy 1, na California.

Fabiane Teixeira

Brasileira, Mineira de Belo Horizonte, 35 anos, conhece 38 países, é Advogada e Professora de Direito Civil, e nas horas vagas Viajante e Blogueira. Junto com meu Fábio vamos conhecer e te apresentar o mundo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Content is protected !!